Rio vence e faz 8ª final contra Osasco

Unilever garante vaga na decisão ao derrotar o Sesi em jogo no qual Sassá passa mal e dá susto no primeiro set

RIO, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2013 | 02h09

O time do Sesi tentou, o da Amil também, mas pela oitava vez seguida a disputa do título da Superliga Feminina de Vôlei ficará entre um time de Osasco e outro do Rio. Ontem, a Unilever ganhou o direito de enfrentar o Sollys Nestlé na final ao derrotar o Sesi por 3 sets a 0 (25/18, 25/21 e 25/23), diante de sua torcida no Maracanãzinho. O resultado fecha a série de melhor de três partidas em dois jogos. O campeonato será decidido em confronto único no dia 7 de abril.

Bernardinho, técnico da Unilever, joga o favoritismo da final nas costas do Osasco, apesar da longa rivalidade entre as equipes. "(O Osasco) É praticamente uma seleção. Nosso objetivo, de início, é alongar o jogo. Não sermos atropelados", avalia o treinador. O treinador afirma que nas próximas três semanas a equipe ficará focada no time rival. "Vamos tentar aprimorar alguns fundamentos contra elas."

Para o técnico do Sesi, Talmo, seu time até poderia ter vencido e provocado a realização da terceira partida. "Tivemos algumas chances, mas não conseguimos ficar equilibrados todo tempo."

Calor. As jogadoras de Sesi e Unilever enfrentaram um adversário extra: o calor. O sistema central de ar condicionado do Maracanãzinho está em manutenção desde que foi afetado por fortes chuvas no Rio, no início do mês. Sem o resfriamento, a ponta Sassá, do Sesi, sucumbiu ainda no primeiro set, quando seu time perdia por 17 a 11. Sentiu falta de ar, teve uma queda de pressão, caiu em quadra, e saiu de maca. Foi levada para uma sala resfriada do ginásio, onde recebeu uma máscara de oxigênio.

Enquanto Sassá era atendida, o primeiro set teve sequência. O Sesi, mesmo desfalcado de uma de suas principais jogadoras, tentou surpreender a Unilever. Mas a falta de concentração foi mais forte e o time perdeu por 25 a 18.

No segundo set, com Sassá já recuperada, o Sesi procurou dificultar. Até chegou a liderar o marcador, mas a ponta Amanda acertou uma boa sequência de saques que selou o destino a favor da Unilever, 25 a 21.

No terceiro e decisivo set, o time paulista tentou de tudo. O jogo foi equilibrado até os pontos finais e o Sesi até chegou a ficar em vantagem no marcador por 22 a 17. Mas o time da casa, menos pressionado, reagiu e selou a vitória: 25 a 23.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.