Rival deixa caminho livre para Scheidt

O iatista inglês Ben Ainslie, que tirou a medalha de ouro de Robert Scheidt na última regata dos Jogos Olímpicos de Sydney, deixa o caminho livre para o seu arqui-rival brasileiro buscar o pentacampeonato no Mundial da Classe Laser, na Irlanda, de 30 de julho a 8 de agosto. Scheidt não terá de brigar contra Ainslie na procura do quinto título de campeão. O inglês vai velejar na classe oceânica - assinou contrato até 2003 com um barco de bandeira norte-americana. Mas isso não significa que os dois não se encontrarão novamente para outros ?pegas? fora da Laser. Scheidt, aos 28 anos, também está cada vez mais perto das grandes competições de regatas da vela oceânica.O iatista brasileiro será o porta-voz da Volvo Ocean Race (ex-Withbread), regata que dará a volta ao mundo entre 23 de setembro e 9 de junho de 2002, com largada em Southampton, na Inglaterra, escala em nove portos e chegada a Kiel, na Alemanha. A regata passará pelo Brasil no dia 12 de fevereiro."Fico feliz por me unir a um evento tão importante no calendário mundial quanto a America?s Cup e a Olimpíada", afirmou Scheidt, sobre a Volvo Ocean Race. "Liga meu nome à classe oceânica e faz com que eu fique mais perto das tripulações desses barcos." Mas, ele deixa a explicação sobre o que fará como porta-voz da regata no Brasil para quarta-feira, quando formalizará o contrato com a Volvo.O brasileiro também será o timoneiro do barco ESPN/Brasil, que tem como tático Cláudio Bisckarck (seu técnico na Laser), no Campeonato Brasileiro de Vela Oceânica, nos dias 17, 18 e 24, em Angra dos Reis. "Quero ter contato gradual com os barcos da classe Oceano."A rivalidade entre o brasileiro e o inglês é antiga - nos Jogos de Atlanta, em 1996, foi Scheidt quem tirou o ouro de Ainslie. Mas, pelo menos por enquanto, Scheidt não deverá encontrar o rival na classe Oceano. Ben se prepara para uma campanha na America?s Cup, em 2003, no barco norte-americano One World, na tripulação do comandante australiano Peter Gilmour, que chegou a liderar o ranking mundial de match race (barco contra barco) e disputou a Louis Vuitton, seletiva para a America?s Cup, a bordo do Nippon Challenge.Para o Mundial - "Acho que o Ben não competirá na Laser nos próximos anos, mas os ingleses já têm um substituto", afirmou Scheidt, referindo-se a Paul Goodison, que foi o sparring do campeão olímpico na preparação para Sydney. O australiano Michael Blackburn, outro adversário tradicional, também deixou a classe Laser - vai velejar na 49er.Scheidt, que brigará contra uma nova geração de velejadores este ano, dá início à preparação para o Mundial da Irlanda em Florianópolis - convidou um sparring especial, o português Gustavo Lima, entre os dez melhores do mundo na Laser, para treinar ao seu lado. "Vamos trabalhar e ver o Guga e o Meligeni na Davis."Depois da temporada em Florianópolis, o iatista disputa o Sul-Americano de Punta del Este, no Uruguai, o Pré-Olímpico de Vela, em Santos, o Campeonato Holandês e a Semana de Spa, na Holanda, e a Semana de Kiel, na Alemanha, de abril a junho.Depois do Mundial, no segundo semestre, retomará as competições de vela oceânica e fará algumas regatas na olímpica classe Star. "Não está claro o que vou disputar na Olimpíada de Atenas, em 2004?, avisou Scheidt.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.