Rival nunca venceu no Brasil

Equipe boliviana aposta em goleiro brasileiro

, O Estadao de S.Paulo

29 de janeiro de 2009 | 00h00

O Real Potosí busca vaga em sua terceira participação consecutiva na Taça Libertadores, sem nunca ter passado da primeira fase. Com um time renovado no ataque, o técnico Vladimir Soria traçou como objetivo chegar pelo menos às quartas-de-final nesta edição. Entre as contratações para 2009, o time boliviano acertou com o goleiro brasileiro Mauro Machado, 34 anos. Com passagens por times do interior gaúcho, ele assumiu a camisa 1 do Real Potosí na temporada.Ontem, o time boliviano fez um treino de reconhecimento do gramado do Palestra Itália. O clube não tem boas recordações de jogos no Brasil. Perdeu os três que disputou sem sequer marcar um gol. "A partida será muito complicada, mas acredito em um bom resultado", afirmou Soria, ao embarcar para São Paulo, anteontem. Ele sabe que, na Bolívia, as coisas são diferentes. Na última partida do time pela Libertadores de 2008, já desclassificado, o Real Potosí enfiou 5 a 1 no Cruzeiro. Daquele jogo, cinco titulares ainda integram o elenco do time boliviano.A única definição no time que entra em campo hoje está na defesa. Além do goleiro Mauro, estão confirmados Luis Gatty Ribeiro, Edhemir Rodríguez, García e Eguino. O técnico ainda não definiu se vai jogar apenas com Horacio Chiorazzono ataque e uma linha defensiva no meio-campo. Se optar por uma postura mais ofensiva, Soría pode escalar o atacante argentino Horacio Fernández para formar a dupla de ataque. Em sua formação titular, o Real Potosí tem jogadores que já vestiram a camisa da seleção boliviano. Na Copa América da Venezuela, em 2007, estiveram presentes os meias Gonzalo Galindo e Darwin Peña e o zagueiro Edhemir Rodríguez.INSPIRAÇÃO REALFundado em 1941 com o nome de Club Bamin Potosí, o time boliviano ficou inativo por nove anos até retornar com o nome atual, em 1994. Comprado por um empresário espanhol fã do Real Madrid, o time também ganhou novo escudo, quase uma cópia do emblema do primo rico. Nos anos seguintes, passou a conquistar títulos e ganhar popularidade na Bolívia. Em 2000, escolheu um novo mascote, chamado Leão Imperial das Alturas. O nome faz referência aos quase quatro mil metros de altitude do estádio Victor Agustín Ugarte, palco do jogo de volta contra o Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.