Tiago Queiroz/AE - 13/08/2011
Tiago Queiroz/AE - 13/08/2011

Rivaldo evita choque com Adilson Batista por ter ficado na reserva

Autor do gol do empate são-paulino no sábado, meia evita críticas ao treinador

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2011 | 00h00

A relação turbulenta de Rivaldo com Paulo César Carpegiani, ex-técnico do São Paulo, fez o veterano meia evitar novas polêmicas após o empate em casa com o Atlético-PR (2 a 2), anteontem, no Morumbi. Deixado na reserva por Adilson Batista, Rivaldo apoiou a decisão de ser poupado.

"O Adilson disse que me deixaria no banco pensando nos próximos jogos e eu entendi", disse o autor do gol salvador, aos 45 minutos do segundo tempo.

Há alguns dias, o meia havia dito que não gostaria de ser poupado e preferia ser tratado como os mais jovens. Contra o Avaí, na vitória por 2 a 1, na Ressacada, Rivaldo já tinha sido preservado pelo treinador - ele nem sequer viajou para Florianópolis.

Foi na capital catarinense, há pouco mais de três meses, que o jogador se envolveu na maior polêmica de sua passagem pelo São Paulo, justamente por reivindicar vaga na equipe. Na época, ele cobrou publicamente Carpegiani por não ter entrado na partida que eliminou o time da Copa do Brasil.

Com Adilson, Rivaldo tem ganhado chances e evitou questionar a decisão do técnico de poupá-lo nas duas partidas. Adilson garante que as decisões são tomadas em conjunto. "O Rivaldo é um atleta experiente e importante para o grupo, mas sabe que não pode jogar todas."

Veja também

linkESTADÃO ESPN - Adilson Batista sofre com desfalques

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCRivaldoAdilson Batista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.