Rivalidade forte com argentinos e chilenos

Assim como acontece com os clubes de futebol na Taça Libertadores, o Grande Prêmio Latino-Americano também é marcado pela rivalidade entre países. Brasileiros, argentinos e chilenos disputarão na pista de grama de Cidade Jardim a hegemonia do turfe continental.Os fãs aguardam o reencontro do brasileiro Negro da Gaita com o argentino Life of Victory. No último Grand Premio Carlos Pellegrino, na Argentina, o cavalo argentino ficou em primeiro e o brasileiro, em segundo. "Procuro não encarar como uma revanche porque teremos outros bons cavalos na pista com chance, como Flymetothemoon, Hot Six e Quick Road", diz o treinador de Negro da Gaita, Leandro Guignoni. A pista pode estar pesada por causa da chuva nos últimos dias. "Nosso cavalo se dá bem em pista pesada, como já ocorreu no Derby."O treinador de Life of Victory, Carlos Etchechoury, reforça a opinião de que o páreo não será entre apenas dois cavalos. "Alguns podem surpreender por estarem descansados, como Quick Road e Flymetothemoon." No entanto, a confiança na montaria é grande. "Ele está muito bem, fez boa viagem e a pista é extraordinária."O brasileiro Quick Road, de J. Macedo, é outra boa aposta do páreo - um pouco mais velho que seus adversários, mas regular em termos de resultados. Quem também pode surpreender é o chileno Last Impact, do treinador Pablo Baeza. Ganhou 25 das 35 corridas que disputou, sendo 21 GPs ou stakes. Seus proprietários estão confiantes numa boa apresentação do animal, principalmente se a chuva der uma trégua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.