Rivellino, ex-meia do Corinthians

DEPOIMENTOS

, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2009 | 00h00

"Minha estreia no Corinthians foi exatamente contra o Santos, mas em um Rio-São Paulo, em 1965. Foi um 4 a 4. O Pelé fez os quatro e um deles foi de pênalti. O juiz achou que eu o derrubei na área. Sobre o tabu, muitos dos resultados negativos nós não merecíamos. Principalmente, as goleadas. As partidas eram muito equilibradas, mas lógico que o time do Santos era muito melhor. Mas não era muito melhor que o nosso. Era muito melhor que qualquer outro time do mundo. Coutinho, Pagão, Pepe, Pelé, meu Deus! No jogo da queda do tabu, eu me lembro que a emoção foi enorme. Eu só tinha três anos de profissional, mas a torcida já não aguentava os 11 anos de jejum sem vitória sobre o Santos. Nas imagens dá para ver que eu ainda não tinha bigode, que só fui deixar crescer em 1970. Também dá para ver que eu dei o passe para o Flávio fazer o segundo gol. Um outro jogo que também me marcou muito da época do tabu foi o da queda das arquibancadas da Vila Belmiro, em 1964. Eu ainda atuava pelos aspirantes do Corinthians. Estava na arquibancada vendo o jogo, quando tudo aconteceu. Eu pulei para fora do estádio e ralei todo o meu corpo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.