Divulgação/ Montagem Estadão
Divulgação/ Montagem Estadão

Robert Scheidt estreia série de medalhas em homenagem a ídolos olímpicos do Brasil

Velejador de 48 anos é dono de cinco pódios olímpicos, sendo ouro em Atlanta-1996 e Atenas-2004, e se prepara para competir em Tóquio-2020

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2021 | 10h38

A poucos meses de distância para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a Casa da Moeda do Brasil divulgou que ídolos do esporte brasileiro serão homenageados em uma série de medalhas que retratam suas conquistas representando o País no principal evento esportivo mundial. O velejador Robert Scheidt, que participou de cinco pódios olímpicos, é o primeiro personagem do tributo. Ele se prepara para desembarcar em Tóquio-2020, sua sétima Olimpíada. 

Os artefatos colecionáveis fazem parte de uma iniciativa chamada 'Grandes Ídolos do Esporte' e ocorre em parceria com a Memorabília do Esporte. É possível adquirir uma medalha de Scheidt em prata, bronze dourado, bronze e cuproníquel. Os valores por unidade vão de R$ 60 a R$ 560, tendo uma variação também no número produzido de cada tipo de material.

Robert Scheidt é um dos grandes atletas brasileiros de todos os tempos. Campeão 15 vezes do mundial de vela, o atleta de 48 anos também é dono de nada menos do que cinco medalhas em Jogos Olímpicos, sendo duas de ouro (Atlanta-1996 e Atenas-2004), duas de prata (Sidney-2000 e Pequim-2008) e uma de bronze (Londres-2012). O velejador agora se prepara para a Olimpíada de Tóquio que, para ele, em razão da pandemia do novo coronavírus, será diferente de todas as outras competições de que já participou.

Além de Scheidt, outros atletas brasileiros serão homenageados ainda neste ano. São eles: Maria Esther Bueno, Rodrigo Pessoa, Jackie Silva e Sandra Pires, Daniel Dias, Hortência, César Cielo e Daiane dos Santos. Os esportistas escolhidos para estampar as medalhas em 2022 ainda não foram divulgados. "É uma honra fazer parte da lista de atletas homenageados, ainda mais sendo o primeiro nessa ação que visa preservar e valorizar a história de atletas que sempre defenderam o Brasil em competições ao redor do mundo", disse Scheidt em comunicado oficial. "Posso dizer que tenho mais uma medalha na carreira".

O velejador possui um total de 17 medalhas conquistadas em mundiais da sua modalidade. Scheidt é o 2º maior vencedor da história do Brasil considerando todos os esportes, ficando atrás apenas de César Cielo, que soma 18 pódios nos mundiais de natação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.