Will Burgess / Reuters
Will Burgess / Reuters

Scheidt confirma treinamentos da seleção brasileira de vela na Suíça visando Copa do Mundo

Treinos têm objetivo de entrosar time visando a SSL Gold Cup. Equipe também conta com Martine Grael, Kahena Kunze e Gabriel Borges

Redação, Estadão Conteúdo

11 de fevereiro de 2022 | 15h24

A seleção brasileira de vela realizará um período de treinamentos em Grandson, na Suíça, entre os dias 7 e 14 de agosto deste ano, visando a SSL Gold Cup, a chamada Copa do Mundo da modalidade. O anúncio foi feito pelo bicampeão olímpico Robert Scheidt, comandante do barco. Os treinos têm o objetivo de entrosar a tripulação, que conta com outros campeões olímpicos e mundiais como Martine Grael, Kahena Kunze e Gabriel Borges. Será a segunda vez que o time se reunirá. Em 2021, ficou com a medalha de prata no evento-teste.

A Copa do Mundo de Vela, marcada oficialmente para novembro deste ano, oferece às nações barcos rigorosamente iguais e os resultados das disputas são fruto da habilidade dos velejadores e entrosamento a bordo. Por isso, Scheidt destaca a importância de mais esse treinamento na Suíça.

"Quanto mais tempo velejando juntos nesse barco, melhor integraremos o grupo, melhorando as manobras, a comunicação, o processo decisório e a equipe como um todo. Os treinos em agosto serão bem importantes. A equipe está praticamente definida e não pretendemos mexer muito no time. É claro que, devido às campanhas olímpicas e outros projetos, podem acontecer ausências no treino na Suíça, mas a meta é manter os nomes do ano passado as Finais. Quanto mais cada um fizer em sua função, melhor para a engrenagem do time como um todo", disse Scheidt.

No primeiro evento-teste, o Brasil perdeu apenas uma regata, justamente na final para a Croácia. O veleiro contou com mais oito nomes de peso da modalidade, incluindo Martine Grael, Kahena Kunze, Henrique Haddad (coach), Gabriel Borges, Henry Boening, Juninho de Jesus, Joca Signorini, Alfredo Rovere e André Fonseca.

"Sabemos que os treinos terão a presença da Austrália, que é um time forte, e isso vai ser muito importante para a gente. Em agosto, fará praticamente um ano desde que subimos no barco pela primeira e única vez. Será fundamental para nos ambientarmos novamente e, com isso, chegarmos mais preparados à competição em novembro. Está todo mundo super animado para se reunir", afirmou o velejador olímpico e campeão mundial Gabriel Borges.

Brasil com vaga no mata-mata

A SSL Gold Cup reunirá ao todo 56 nações entre os membros da World Sailing, para coroar, a cada dois anos, a melhor nação da vela. Como na Copa do Mundo de futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias.

Todas as regatas terão flotilhas de quatro barcos RC47 até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nas finais. O Brasil já está nos duelos das quartas contra Polônia, Israel ou Hungria. Mais equipes virão das eliminatórias que serão realizadas no meio do ano.

"A Polônia é uma equipe bem forte e vem treinando bastante nesse tipo de barco nos últimos dois anos. Depois, devemos ter Israel ou Hungria, que virão bem preparados. Não teremos moleza. Serão adversários fortes. Mas nosso time se integrou muito bem nos treinamentos do ano passado e temos todas as condições de avançar para as próximas rodadas", explicou Scheidt.

Duas flotilhas de quatro barcos competem nas quartas de final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final. O vencedor desta será coroado o campeão do mundo. "A equipe está animada para o projeto. Caímos em uma chave com a Polônia, que é bem forte. Temos de ver quem virá do qualificatório, mas o importante nesse momento é o espírito do grupo em torno do mesmo objetivo", disse Bruno Prada, gerente do SSL Team Brasil.

Os velejadores devem ser os mesmos que participaram no segundo semestre de 2021 do evento-teste na Suíça. Scheidt fará mudanças pontuais se necessário em função de calendário de competições e treinamentos da tripulação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.