Rodrigão se machuca na Itália e revive drama

Contusão no joelho pode tirar meia-de-rede da seleção de vôlei dos Jogos de Pequim. Em 2004, ele correu risco, mas foi a Atenas

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

O meio-de-rede Rodrigão, um dos atletas de presença mais constante na seleção masculina de vôlei, pode ficar fora da Olimpíada de Pequim. O jogador de 28 anos se machucou quinta-feira, no primeiro set da partida de seu time, o Macerata, contra o Modena, válida pelas quartas-de-final da Copa da Itália - o Macerata acabaria campeão da competição. Exames preliminares indicam suspeita de rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo.Rodrigão foi liberado pelo clube para ser avaliado no Brasil. Ele chega ao País amanhã, junto com a mulher e os três filhos. Provavelmente, irá receber o diagnóstico definitivo da lesão em Curitiba, no mesmo dia ou na sexta-feira.De acordo com Álvaro Chamecki, médico da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), ainda não se conhece a extensão real do problema. ''''Falei com o Rodrigão, mas só saberemos exatamente qual é a lesão quando ele chegar ao Brasil. Então, definiremos o tratamento'''', afirmou o especialista ao Estado, de Curitiba. Chamecki e o outro médico da seleção brasileira, Ney Pecegueiro, serão responsáveis pelo diagnóstico da contusão.Para o fisioterapeuta da seleção brasileira, José Inácio Salles Neto, a possibilidade de que Rodrigão tenha sofrido ruptura do tendão é grande. Caso isso tenha acontecido, a solução será a cirurgia, que pode tirá-lo de combate por, no mínimo, seis meses.''''Existem outras possibilidades mais remotas de que ele possa tratar a lesão sem precisar sofrer uma cirurgia'''', explicou Neto. ''''Agora precisamos aguardar a avaliação completa dos médicos para informarmos o diagnóstico definitivo. Antes disso, qualquer avaliação seria prematura.''''Rodrigão é um dos atletas mais utilizados pelo técnico Bernardinho desde 2000, na exaustiva maratona de compromissos da seleção. Divide a posição de titular no meio-de-rede com André Heller - ambos fazem companhia a Gustavo.Dentre os vários títulos conquistados com o Brasil - é bicampeão mundial (2002 e 2006) e pentacampeão da Liga Mundial, Rodrigão também foi campeão olímpico em Atenas/2004. Mas por pouco não ficou de fora da campanha vitoriosa. Semanas antes da Olimpíada, ele sofreu um edema ósseo na perna direita, que o tirou da fase final da Liga Mundial. Acabou confirmado no torneio na última hora, após amistosos contra a França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.