Paulo Favero/Estadão
Paulo Favero/Estadão

Rodrigo Caio ganha posição de titular, confiança e elogios no São Paulo

'Tenho recebido apoio de todo mundo e quero ajudar na lateral ou como volante, onde precisar', diz

PAULO FAVERO, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2013 | 02h05

SÃO PAULO - O volante Rodrigo Caio vive um grande momento no São Paulo. O jogador assumiu a posição de titular com a lesão de Paulo Miranda, ao ganhar a concorrência com Douglas, e tem recebido elogios frequentes do técnico Ney Franco. Contra o Bragantino, na vitória por 2 a 0, ele entrou jogando pela quinta vez nos últimos seis jogos. "Tenho recebido apoio de todo mundo e quero ajudar na lateral ou como volante, onde precisar", diz o menino, que começou como zagueiro.

Ele chegou ao São Paulo com 12 anos e aos 15 sofreu um grande golpe, ao quebrar a rótula do joelho direito ao se chocar com um atacante da base. Ficou dez meses parado e repensou sua vida. "Muitas pessoas diziam que eu nunca mais poderia jogar novamente, pois era uma operação rara e complicada. Mas fui muito bem tratado e me apliquei bastante na fisioterapia", recorda, citando exemplos de conhecidos que não tiveram o mesmo fim. "Tem muita gente que sofre até hoje pois não tratou direito."

Aos 19 anos, ele prometeu e deu a camisa de seu primeiro gol no profissional para o pai, Celso, que era comerciante em Dracena e hoje ajuda a carreira do filho. "Ele é fanático, são-paulino roxo", conta. A mãe, Edilene, é professora de português e nunca permitiu que o rapaz deixasse os estudos de lado. "Só não consegui fazer faculdade ainda, mas pretendo", diz Rodrigo Caio.

Ele não se deslumbra com a fase e promete brigar por uma vaga na equipe, mesmo com o iminente retorno do titular Paulo Miranda. "Estou mostrando que tenho condições de ser um dos titulares", conclui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.