Rodrigo pede apoio ao hipismo brasileiro

O cavaleiro Rodrigo Pessoa não pôde viver a emoção da premiação pela vitória nos Jogos de Atenas mas, hoje, se tornou o primeiro brasileiro a receber no País uma medalha de ouro. O ginete, que terminou em segundo lugar na Grécia, foi declarado o vencedor da prova de saltos por causa do resultado positivo de doping do cavalo Waterford Crystal, do irlandês Cian O?Connor, que havia triunfado na disputa grega. "A emoção é diferente de ter recebido em Atenas. É uma grande honra e prazer poder ganhar a medalha em meu País, na frente dos meus amigos e familiares", festejou Pessoa, que recebeu o ouro olímpico das mãos do presidente do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, acompanhado pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, no Forte de Copacabana, na zona Pessoa não escondeu a esperança de que a medalha de ouro possa servir de incentivo e desenvolvimento para o hipismo brasileiro. Cobrou maiores investimentos em jovens cavaleiros e montarias. Destacou, ainda, que o Brasil precisa conseguir recursos para mandar seus ginetes competirem em países onde o esporte é desenvolvido. "Defendo isso para qualquer tipo de esporte. É preciso ir onde estão os melhores da modalidade para aproveitar a experiência deles. Nada melhor do que competir contra os melhores", afirmou Pessoa, que vive em Ligny, na Bélgica, onde sua família mantém um centro de treinamento. Sobre projetos futuros, o ginete voltou a afirmar o desejo de competir por uma nova medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim e frisou que "desta vez ela seja obtida de maneira certa", durante a disputa da prova e não por meio judiciais. O pai de do cavaleiro campeão olímpico, Nelson Pessoa, o Neco, considerado o maior nome do hipismo nacional, acompanhou o filho, ao lado da mulher, Regina, da nora Keri Potter, além da neta Cecília Carolina. Emocionado, lembrou que o fato de a decisão na Justiça ter beneficiado o Brasil foi uma prova de que juridicamente todos estão sendo tratados em igualdade de condições e uma lição exemplar para inibir a utilização de recursos ilegais no esporte. Além de Pessoa, três medalhas referentes aos Jogos Pan-Americanos de São Domingos, em 2003, também obtidas por casos de doping foram recebidas por brasileiros. A equipe de revezamento 4 x 100m (Claudinei Quirino, Edson Luciano, Vicente Lenílson e André Domingos - único ausente por causa de compromissos profissionais) recebeu o ouro. Já o time de remo do four skiff peso leve (Rui Valle, Ronaldo da Gama, João Hildebrando Borges Junior e Gustavo Villela dos Santos), ganhou a prata e a atleta dos 800m rasos, Christiane Ritz, foi premiada com o bronze.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.