Roger sugere receber só se entrar em campo

O meia Roger, irritado por ser chamado de ''''chinelinho'''', resolveu apelar: propôs trabalhar de graça. ''''Coloquei ao Kléber Leite (vice de futebol) que não quero receber salário enquanto estiver me recuperando de lesão'''', justificou o meia, que ganha R$ 200 mil por mês e não joga como titular desde 8 de setembro. O dirigente recusou a proposta.

O Estadao de S.Paulo

11 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.