Rogério Ceni admite falha no primeiro gol

''Não vi a hora do chute, e isso me atrapalhou. Quando vi, a bola já estava muito em cima''

Daniel Akstein Batista e Martín Fernandez, O Estadao de S.Paulo

21 de abril de 2008 | 00h00

Rogério Ceni fez ontem um dos piores jogos de sua carreira. O goleiro falhou no forte chute de Léo Lima, no primeiro tempo. No segundo, deu vários sustos na defesa e na torcida são-paulina: logo aos 5 minutos, não saiu para cortar um cruzamento de Leandro que quase termina em gol de Valdivia. Aos 21, após receber um recuo de bola, saiu jogando errado e entregou nos pés de Alex Mineiro. O camisa 9 do Palmeiras lançou Denílson, que para sorte de Rogério, chutou na arquibancada.Como costuma fazer nas raras vezes em que falha, o camisa 1 do São Paulo assumiu a culpa no primeiro gol do Palmeiras. ''Eu não vi quando ele chutou, e isso me atrapalhou muito'', declarou o capitão tricolor. ''Quando vi, a bola já estava muito em cima. Fiz o que pude, mas não deu.'' E completou: ''A bola balançou demais, eu caí para um lado e ela foi para o outro.''O goleiro do São Paulo ainda contou com o apoio de Marcos. ''Não dá para dizer que ele falhou, a bola pegou um efeito muito grande'', minimizou o capitão do Palmeiras. ''Eu treino todo os dias com o Léo Lima e sei como são fortes os chutes dele.''No intervalo da partida, quando os jogadores do São Paulo voltaram para o campo ao perceberem que o vestiário estava infestado com gás, Rogério foi o único que não subiu imediatamente. Ficou alguns minutos sozinho, num corredor do Palestra. Quando voltou, fez pesadas críticas à situação e à organização do Estadual. ''Não, eu nunca tinha visto uma coisa dessas'', declarou. ''Mas a gente nunca tinha visto antes várias coisas que aconteceram neste Campeonato Paulista.''Rogério também protagonizou bate-boca com Valdivia, após o apagão no Palestra Itália. ''Eu empurrei o Valdivia para ele sair de perto mesmo'', admitiu. ''Ele empurrou o Adriano, eu o tirei dali. E sobre o Valdivia não quero falar mais nada, porque não acrescenta nada na minha vida.''Imediatamente após o fim do jogo, os são-paulinos esqueceram o Campeonato Paulista e passaram a falar em Taça Libertadores. Na quarta-feira, às 21h50, o time recebe o Atlético Nacional de Medelín, no Morumbi, no último jogo da fase de grupos da competição. O São Paulo precisa vencer para se classificar. ''Não podemos baixar a cabeça. Nesta semana temos outra decisão'', disse o atacante Adriano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.