Rogério Ceni falha, mas ninguém critica o capitão

A constatação é clara para quem assiste às imagens do terceiro gol santista no clássico ontem: uma falha de Rogério Ceni foi decisiva para o santista Durval marcar. Mas ninguém no clube, nem mesmo o goleiro, admitiram que um erro individual botou abaixo o esforço de uma reação durante um segundo tempo com um homem a menos diante de um grande adversário.

Amanda Romanelli e Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2010 | 00h00

"O time jogou muito bem, lutou muito, e foi uma pena, numa bola parada, tomar o gol", limitou-se a dizer o capitão tricolor na saída de campo. Foram suas únicas palavras depois da derrota.

Tanto o treinador Ricardo Gomes quanto os próprios companheiros minimizaram o erro do experiente goleiro são-paulino, 37 anos, currículo recheado de conquistas marcantes como o Mundial de 2005. "Não temos de lamentar nada. O Santos tinha mais jogadores dentro da nossa área e por isso sobrou um jogador deles no segundo pau para marcar o gol", explicou o volante Hernanes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.