Rogge diz que morte de atleta georgiano é uma tragédia

Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), classificou nesta sexta-feira a morte do georgiano Nodar Kumaritashvili durante um treinamento do luge (modalidade de descida em trenó) como uma tragédia. Ele admitiu que o acidente marcará os Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver.

AE, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 21h37

"A família olímpica todo foi atingida por essa tragédia que claramente lança uma sombra sobre estes Jogos", afirmou Rogge. "Aqui você tem um jovem atleta que perdeu a vida na execução da sua paixão. Ele tinha um sonho de participar dos Jogos Olímpicos. Ele treinou muito e sofreu o acidente fatal. Não tenho palavras para dizer o que sentimos", completou.

Kumaritashvili perdeu o controle de seu trenó quando atingia velocidade aproximada de 145 km/h. Ao fazer uma curva, saiu da pista, desprendeu-se do trenó e bateu a cabeça e o pescoço contra um pilar ao lado da instalação da pista de gelo.

Rogge disse que estava em contato com a família de Kumaritashvili e com o governo georgiano. O presidente do COI confirmou que o Comitê Olímpico da Geórgia estuda a possibilidade de abandonar os Jogos de Vancouver.

Uma investigação sobre o acidente foi iniciado imediatamente. A competição do luge entre os homens está marcada para começar no sábado, mas o calendário de competições pode ser alterado após o acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.