Romarinho garante 1ª vitória do Corinthians

Com dois gols do jovem atacante, um deles de letra, Alvinegro vence o clássico contra o Palmeiras por 2 a 1, de virada

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2012 | 03h03

Corinthians e Palmeiras jamais farão um clássico qualquer. Mesmo que estejam em campo um punhado de reservas, que o Pacaembu não esteja cheio ou que o Campeonato Brasileiro, nesse momento, ainda seja considerado uma competição secundária. Os rivais protagonizaram um clássico parelho, no qual Felipão tentou, sem sucesso, aplicar outra de suas peças. Mas viu seu time sair na frente e sofrer a virada para 2 a 1. Trata-se da primeira vitória corintiana na competição. Os dois times seguem na zona do rebaixamento.

O Corinthians levou a melhor graças a um jogador, que agora não é conhecido apenas por ter nome de craque, mas pelo que faz em campo: Romarinho. Na sua estreia como titular, o atacante foi a estrela da partida, marcando dois golaços, um de letra no primeiro tempo, e outro soltando um petardo que bateu na trave antes de balançar a rede.

A façanha de Romarinho é imensa porque, quando a escalação foi divulgada, as apostas de quem decidiria o clássico se concentravam em Liedson, Willian ou Douglas, do lado corintiano, e Barcos e Daniel Carvalho, pelos lados do Palmeiras, que ainda se dava ao luxo de manter Valdivia no banco de reservas. Romarinho, que saiu de campo aplaudidíssimo, foi o herói improvável.

Tite mandou a campo o que, até então, era a pior versão do Corinthians. Um time reserva que segurava a lanterna do campeonato e que tentava jogar como o titular, num 4-2-3-1, com Romarinho e Willian abertos pelos lados, Liedson isolado no ataque e Douglas vindo de trás.

Surpresa? Felipão, mais uma vez, deixou o clube divulgar uma lista de relacionados fajuta, sem Barcos. Mas o nome do atacante estava na escalação divulgada apenas momentos antes do jogo. No final das contas, o técnico escalou um Palmeiras quase titular - as exceções, além de Luan e Assunção, machucados, foram Thiago Heleno e Arthur.

Aos 3, Barcos estava dentro da área e começou a jogada do gol palmeirense. O argentino foi travado pela defesa, a bola sobrou para João Vítor, que chutou errado e a bola ficou para Mazinho.

O Corinthians ficou meia hora atordoado. Seus laterais não avançavam, os volantes não apareciam no ataque e Douglas era anulado, ora por Henrique ora por Márcio Araújo. E os atacantes ficavam muito isolados. Se o Palmeiras tivesse ido pra cima, poderia ter ampliado o placar antes de Romarinho mudar o jogo. Liedson começou a jogada e concluiu cruzando na área. Romarinho entrou em velocidade e tocou de letra: 1 a 1, quando Corinthians já merecia o empate.

No segundo tempo, Felipão trocou Daniel Carvalho por Valdivia e tirou Leandro Amaro para colocar Maikon Leite, recuando Henrique para a zaga. O jogo ficou mais equilibrado.

Até Romarinho decidir o clássico. Ele ganhou mais uma de Cicinho e soltou uma bomba, sem chance para Bruno. A partida ficou mais aberta e a entrada de Maikon Leite tornou o Palmeiras mais ofensivo. Liedson poderia ter ampliado, livre na cara de Bruno. E Maikon Leite poderia ter empatado, mas Júlio César defendeu, assegurando a primeira vitória corintiana no Brasileiro, às vésperas da final da Libertadores. O Palmeiras, na decisão da Copa do Brasil, ainda não venceu na competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.