Romarinho tenta repetir estreia e encerrar jejum

Atacante, que fez dois gols contra o Palmeiras em sua 1ª partida pelo Alvinegro, está há oito jogos sem marcar

D.B / V.M, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2012 | 03h04

Romarinho, o jovem e tímido atacante do Corinthians, está aflito por não fazer mais gols, mesmo sendo um dos atletas que mais tiveram uma sequência de partidas como titular do time.

Há oito partidas sem marcar, Romarinho tenta reencontrar o caminho do gol justamente contra a equipe que lhe serviu de cartão de visitas ao torcedor corintiano, o Palmeiras. "Essa é a minha cara", disse à época.

Foi contra o rival, no confronto do primeiro turno, que o então desconhecido Romarinho apareceu. Às vésperas da final da Libertadores, ele liderou os reservas do Corinthians ao marcar dois gols na vitória por 2 a 1, de virada.

Depois de ter uma atuação de gala, no jogo seguinte Romarinho foi à Bombonera e empatou o jogo para o Corinthians no primeiro duelo da final contra o Boca Juniors.

Ele retornou ao Brasil como ídolo da Fiel, e até hoje é o jogador mais querido e procurado pelos torcedores quando o time volta de viagem e passa no saguão dos aeroportos. A diretoria até ficou preocupada com o assédio sobre o jogador, que veio do Bragantino e não estava acostumado nem sequer a dar entrevistas.

O problema é que, depois do gol na mítica Bombonera, Romarinho marcou apenas mais uma vez - e já faz mais de um mês, contra o Coritiba. "A fase não é boa mesmo", reconhece o jogador de 21 anos.

Tite já tentou de tudo. Romarinho atuou até de centroavante, no sacrifício, mas a bola não entrou. "É preciso um pouco mais de calma", disse o treinador. O atacante admite que lhe falta um pouco mais de paciência e tranquilidade, especialmente no momento da conclusão.

Romarinho passou a intensificar os treinos de finalização para colocar o pé na fôrma. Chutar mal e sem força é algo comum a jogadores jovens, por isso a comissão técnica acredita que em pouco tempo esse problema estará superado. "Estou tranquilo", disse ele após o empate por 1 a 1 com a Ponte Preta. "Quando marcar de novo as coisas melhoram."

O atacante, que costuma jogar aberto, ora pela esquerda ora pela direita, também tem de evoluir em outro aspecto: o físico. De acordo com a comissão técnica, ele tem caído muito de produção no segundo tempo.

Contra o Palmeiras, hoje, Romarinho começa como titular. Se voltar a marcar vai provar definitivamente ser um jogador que tem estrela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.