Romário não paga pensão e é preso no Rio

Romário foi detido ontem à tarde e levado para a 16.ª Delegacia Policial (Barra da Tijuca) sob a alegação de não pagar dois meses de pensão alimentícia dos filhos Moniquinha e Romarinho num valor aproximado de R$ 90 mil. A decisão partiu do juiz Antônio Aurélio Abi-Ramia Duarte, da 2ª Vara de Família da Barra, em decorrência do processo movido pela ex-mulher do jogador, Mônica Santoro. Romário chegou à delegacia por volta das 17 horas, acompanhado de um oficial de Justiça que foi buscá-lo em sua casa, na Barra da Tijuca. O ex-atacante, que não chegou a ser algemado, prestou depoimento ao delegado Carlos Augusto Nogueira.Até a meia-noite, o advogado do ex-jogador, Norval Valério, não havia conseguido a revogação do mandado de prisão, o que forçaria Romário a dormir na cadeia. Valério garantiu que seu cliente já havia pago tudo que devia aos filhos Moniquinha, de 19 anos, e Romarinho, de 15, e que tentaria liberá-lo durante a madrugada."Não sei se algum juiz vai expedir um alvará de soltura com a rapidez que ele imagina. Além disso, o advogado (do ex-atacante) terá de mostrar os comprovantes para conseguir o documento", disse o delegado, por volta das 20 horas. "O Romário já está na carceragem (cela individual), mas a transferência para a Polinter não será feita hoje apenas por falta de tempo."Não é a primeira vez que o tetracampeão mundial passa por esse constrangimento. Em 2004, ele foi detido duas vezes pela mesma razão em ações também movidas por Mônica Santoro, de quem se separou em 1995. Em uma das ocasiões, chegou a ficar retido na delegacia por quase seis horas. Na época, Mônica alegou que Romário atrasou o pagamento das pensões alimentícias num valor de R$ 140 mil. Romário tem seis filhos e já se casou três vezes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.