Romênia e EUA dominam a ginástica

Um balanço do torneio de ginástica artística encerrado nesta segunda-feira nos Jogos Olímpicos de Atenas mostra que a Romênia, país de grande tradição neste esporte, recuperou a hegemonia nesta modalidade, com um total de 4 medalhas de ouro na categoria feminina. Seu grande destaque, e das Olimpíadas também, foi Catalina Ponor, que ficou com o ouro por equipes, no solo e na trave de equilíbrio. O outro ouro individual das romenas foi de Monica Rosu, no salto sobre o cavalo.No total geral de medalhas, Romênia e EUA ficaram empatados com 9. Os norte-americanos conquistaram a medalha de ouro geral individual no feminino com Carly Patterson e no masculino com Paul Hamm. O Japão terminou em terceiro, com quatro medalhas, sendo uma de ouro, seguido da Coréia do Sul, Bulgária, China e Espanha com duas.Nada menos do que 14 países tiveram ginastas no pódio, nos diversos aparelhos. O Japão ganhou no concurso geral por equipes, e as medalhas individuais de ouro foram distribuídas entre os EUA (campeão geral individual); Canadá (solo), China (cavalo com alça), Grécia (argolas), Espanha (salto sobre o cavalo), Ucrânia (paralelas) e Itália (barra) e França (paralelas assimétricas). Também ganharam medalhas, de prata e bronze, Coréia do Sul, Letônia, Bulgária e Russia. Entre as representantes da América Latina, o quinto lugar na final do solo, de Daiane dos Santos, a melhor ginasta brasileira, campeã mundial e candidata à medalha de ouro, foi um resultado expressivo. Basta dizer que ela competiu com 98 concorrentes e sua classificação foi a melhor obtida pelo pais na história dos Jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.