Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ronaldinho vai parar no banco, após a festa

Diretoria do Milan cobra satisfação do astro sobre farra depois da partida da seleção, no Rio, e técnico diz que meia ficará na reserva contra Zurich

O Estadao de S.Paulo

18 de setembro de 2008 | 00h00

Ao trocar o Barcelona pelo Milan, Ronaldinho Gaúcho sabia que a marcação dentro de campo seria mais dura. O que o craque da seleção brasileira não tinha idéia é da "tolerância zero" dos dirigentes italianos com as "pisadas de bola" fora de campo. A participação em uma festinha, no Rio, após o desastroso empate do Brasil com a Bolívia, por 0 a 0, dia 10, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, fez o jogador se reunir anteontem com o vice-presidente Adriano Galliani.Ronaldinho admitiu ter ido à festa, como publicou com exclusividade o Estado na segunda-feira, mas se defendeu, ao afirmar que saiu da reunião às 2 horas da manhã e às 2h30 estava dormindo em casa, mas o atleta pôde ser visto no Engenhão, local do jogo, até por volta da 1 hora da madrugada. Ele teria, então, noventa minutos para sair da zona norte e seguir até a zona oeste, conversar com os amigos, ir para sua residência e pegar rapidamente no sono. Galliani não engoliu as considerações de Ronaldinho. Com isso, o técnico Carlo Ancelotti convocou o brasileiro para o jogo de hoje contra o Zurich, pela primeira rodada da Copa da Uefa, mas o camisa 80, que custou 25 milhões, vai para a reserva. Na tentativa de evitar um início de crise, a comissão técnica do Milan anunciou uma versão para justificar a ausência do craque entre os titulares, afinal domingo, na derrota para o Genoa, por 2 a 0, Ronaldinho começou jogando, mas, muito mal, foi substituído no intervalo. O meia teria passado por exames físicos, que constataram índices baixos em sua resistência muscular, por causa dos 133 dias longe dos gramados. Segundo a diretoria do clube, Ronaldinho será submetido a um trabalho individual e específico para aprimorar a forma. "Ele (Ronaldinho) nem seria convocado para o jogo, mas, como estamos com o elenco reduzido, ficamos na expectativa de utilizá-lo em 45 minutos", disse Ancelotti, que não poderá contar com Senderos, Pirlo e Inzaghi, machucados, além de Borriello e Shevchenko não estarem em condições ideais. O técnico e os dirigentes do Milan afirmam que a intenção é deixar Ronaldinho em plena forma para o dérbi contra a Internazionale, dia 28, pela quinta rodada do Campeonato Italiano. Até lá, o meia vai ser escalado por alguns minutos contra Zurich (hoje), Lazio (domingo) e Reggina (quarta-feira). Neste período terá de evitar as entradas mais duras dos zagueiros adversários e as interessantes baladas de Milão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.