Ronaldo: 50 dias de agito, menos o prazer do futebol

Em recuperação, atacante grava comerciais, faz ação social, pede aumento. E volta a treinar

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

13 de setembro de 2009 | 00h00

Ronaldo completa hoje 50 dias da fratura em dois dedos (terceiro e quarto metacarpo) da mão esquerda. A lesão ocorrida no clássico com o Palmeiras, dia 26 de julho, em Presidente Prudente, o fez ficar longe dos gramados em seu mais longo período após a estreia com a camisa corintiana. Apesar da fase inativa, a vida do maior astro no futebol nacional jamais deixou de ser agitada. Nestes longos e intermináveis dias, Ronaldo gravou comerciais de bebida, creme de barbear, recebeu a notícia da gravidez da mulher Bia Anthony (seu terceiro filho), o roteiro de filme no qual será protagonista na Palestina, assistiu a show do astro Roberto Carlos, fez ação social ao divulgar entidades de assistência à crianças carentes, pediu aumento para seguir na temporada 2010 e, finalmente, voltou aos treinos.

Durante a semana, Ronaldo foi o centro das atenções no Spa Resort de Itu, local de intertemporada do Corinthians. Na pacata cidade do interior, o atacante, avesso à concentrações de longo período, mostrou todo seu profissionalismo e a vontade em voltar a jogar.

Foram treinos fortes, puxados, nos quais ficou provado que o retorno é questão de dias. O sorriso largo no rosto do Fenômeno durante todas as atividades provou o quanto está disposto a ajudar o Corinthians. Ronaldo correu, não tanto quanto os outros, é bom frisar, mas não evitou choques, arrancadas ou finalizações. Até o sabor de comemorar um gol teve. Na quinta-feira, após arrancada com sua marca, ele tirou do goleiro em toque de mestre.

Na sexta-feira, a prova de que poderia defender o time na quarta-feira, diante do Coritiba. Ronaldo participou de todo o coletivo. Por ele, já estaria de volta aos campos. A vontade do jogador em atuar é tão grande que a comissão técnica está tendo o trabalho de convencê-lo que ainda não é o momento.

"Estamos mais preocupados com ele do que ele mesmo", afirmou o técnico Mano Menezes, mudando o discurso de um possível retorno apenas diante do São Paulo, dia 27. "Nunca defini uma data sobre o retorno."

Ronaldo arranca elogios e mostra evolução acima do esperado. "Ele está evoluindo muito bem, mas precisamos de um pouquinho de cuidado com o choque no local (na mão)", enfatizou o treinador revelando, contudo, que o camisa 9 não está com nenhum receio de levar pancada no local e até exige treinos com contato físico maior. "Nós compreendemos sua vontade de voltar, só que temos de seguir as orientações do departamento médico, que é muito responsável. Vamos convencê-lo de fazer o mesmo", seguiu Mano, sem esconder alegria pelo que viu em campo nesses últimos dias de trabalhos com bola feito pelo Fenômeno.

"A qualidade dele não se discute e sabemos que sempre sai coisa boa com ele em campo. Mesmo com o Sidnei (Lobo) na armação", brincou o comandante, pelo fato de seu auxiliar estar completando a equipe reserva na função de meia, na sexta.

Ficar muito tempo fora deixa Ronaldo incomodado. Ele corre contra o tempo para mostrar a Dunga que tem condições de estar na Copa do Mundo. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, abriu caminho para o jogador, desde que esteja no ritmo de 2002. E o motivou ainda mais para uma "despedida por cima" na vitoriosa carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.