Ronaldo admite que está exausto

Após atuar 316 minutos em 5 jogos, atacante precisa de recuperação

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

Foram 316 minutos, cinco jogos, apenas um deles completo, quatro gols e uma constatação: Ronaldo está exausto. O diagnóstico é do próprio jogador, que deve ser poupado diante do Guarani, amanhã, em Campinas. "Foram dois jogos seguidos, estou bem cansado. E o trabalho de recuperação é importante", diz. "Amanhã (hoje) vou estar ainda mais cansado, mas se tiver de jogar, estarei lá."Ronaldo joga na retranca no assunto por ainda não ter conversado com Mano Menezes. O papo acontecerá hoje e o jogador dirá que prefere ser poupado do duelo de Campinas para estar inteiro na terça-feira, diante do Ituano. "Todo o processo (de recuperação) tem de ser feito de maneira cautelosa. A gente tem de visar os jogos mais importantes, as semifinais, e se chegarmos, a final."O Corinthians encarou o Santos, no domingo, e a Ponte Preta, anteontem. Nos encontros, Ronaldo atuou por 180 minutos (83 e 97, respectivamente), algo que não acontecia fazia mais de um ano. "Fazer dois jogos em três dias é pesado para quem que já vem atuando há muito tempo. Para mim, ainda mais, pois estou retornando."O jogador está entusiasmado com os gols e, ao mesmo tempo, assustado com o ritmo alucinante do futebol atual. Em todas as entrevistas, não esconde ainda estar distante do peso e ritmo ideais, e ontem surpreendeu ao dizer que a aposentadoria pode vir já no fim da temporada. "Meu objetivo é concluir o contrato e fazer um balanço no fim do ano. Depois, vou decidir se jogo mais um ano ou então encerro a carreira", diz. "Vou pensar, temos tempo, agora é curtir o momento."Ronaldo é ofensivo no quesito "ser decisivo". Ele não se esquiva e assume. "Nosso time não joga em minha função. Mas se tenho de ser decisivo, assumo a responsabilidade pelo bem do Corinthians", diz. "É como na NBA: o Jordan (Michael) recebia a última bola e acertava a maioria. Mas quem ganhava era o Chicago. Quero é que o Corinthians vença, com gol meu, do Elias, do Souza, do Cristian..."E a possibilidade de ir para o Los Angeles Galaxy? O clube americano sonha em levá-lo para a vaga de Beckham. "É difícil falar em hipóteses. Minha vontade é a de ficar aqui. Agora não sei se o Corinthians quer me vender. Quem sabe para construir um estádio?", brinca.E não admite ver zagueiro, como Deda, da Ponte Preta, o acusando de violência. "Fui cobrar a falta, ele tirou a bola e deixou a canela. Eu não tive nenhuma intenção", defende-se. E sobre Gum? "Jamais pediria para um zagueiro não me marcar. Pedi para parar de me agarrar. Ele me agarrava mais do que minha mulher." O QUE ELE DISSERonaldoatacante do Corinthians"Foram dois jogos seguidos, hoje (ontem) estou bem cansado e o trabalho de recuperação é importante. Amanhã (hoje) vou estarainda mais cansado. Mas se tiver de jogar, estarei lá""Jamais pediria para um zagueiro não me marcar. Pedi para parar de me agarrar. Ele (Gum) me agarrava mais do que minha mulher me agarra"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.