Ronaldo assina. Clube quer jogar na Fazendinha

Jogador se reúne com a diretoria do Corinthians para oficializar acordo. Novo alvo agora é reformar estádio para jogos de menor porte em 2009

Anelso Paixão, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2008 | 00h00

Agora, tudo está no papel. O atacante Ronaldo esteve ontem à tarde no Parque São Jorge para a assinatura definitiva do contrato e seu compromisso com o Corinthians passou a ser oficial. Na sexta-feira, com direito a grande festa, o astro foi apresentado à torcida, no Parque São Jorge, mas detalhes jurídicos impediram que regularizasse a documentação, o que ocorreu ontem à tarde. Ronaldo teve dia movimentado. Pela manhã, treinou duras horas e 45 minutos no Rio. Primeiro, andou de bicicleta pela orla da Barra da Tijuca. Em seguida, fez musculação em uma academia, com exercícios de força e flexibilidade. "Optamos pelo trabalho na orla para que a dinâmica seja diferente e não fique cansativa", explicou Bruno Mazziotti, seu fisioterapeuta particular.O craque retornou ainda ontem para o Rio e deve dar seqüência ao trabalho sob orientação de Mazziotti hoje, enquanto aguarda que sua noiva Bia Antony dê à luz Maria Sophia.FAZENDINHA REFORMADAA Fazendinha é o novo alvo do departamento de marketing do Corinthians. Depois de participar ativamente da contratação de Ronaldo, o setor mais em evidência da atual diretoria alvinegra trabalha agora para fazer o clube ter local próprio para mandar jogos. Como o sonho de uma nova e moderna arena não emplacou, e como o processo para a cessão do Pacaembu ainda deve se arrastar, o projeto é deixar o estádio Alfredo Schürig, a tradicional Fazendinha, pronta para receber alguns jogos do clube em 2009.O anúncio foi feito ontem pelo diretor de marketing Luis Paulo Rosemberg e confirmado pelo gerente Caio Campos. "Estamos trabalhando nisso há algum tempo e, na próxima semana, esperamos anunciar de forma oficial", disse Campos. "O que podemos dizer é que existe uma negociação em andamento com uma empresa multinacional do ramo de gerenciamento de arenas esportivas."A idéia é utilizar a Fazendinha para jogos em que a previsão de público não seja maior que a capacidade máxima do estádio - 15 mil pessoas. De acordo com Rosemberg, o local terá pequenas adaptações, com a construção de camarotes e cadeiras vips, o que deve proporcionar uma arrecadação semelhante àquela que o clube tem no Pacaembu em jogos de menor porte. O problema é que, no estádio municipal, chamado de "casa do Corinthians", o clube paga aluguel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.