Julio Cavalheiro/EFE
Julio Cavalheiro/EFE

Ronaldo defende a Copa no Brasil, fala sobre legado e cobra seriedade

Em defesa dos organizadores, ex-atacante pede apoio da população

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

21 de fevereiro de 2014 | 14h09

FLORIANÓPOLIS - Membro do Comitê Organizador Local, o ex-atacante Ronaldo aproveitou o encerramento do Congresso Técnico da Fifa para tratar de questões polêmicas da Copa e sair em defesa dos organizadores. Ele pediu para que a população apoie o torneio e cobrou os dirigentes que não pretendem cumprir com o que foi combinado. "Vou ficar até o final da Copa tentando convencer a todos de que a Copa é um projeto maravilhoso. É uma grande oportunidade de negócio e legado", disse o ex-jogador nesta sexta-feira.

Ronaldo participou nesta sexta da reunião do Comitê Organizador Local (COL) e reforçou o que já vinha sendo discutido durante a semana em Florianópolis. Segundo o ex-atacante, os torcedores querem que os prefeitos das cidades-sede cumpram o acordo de realizar a Fan Fest.

"A gente insiste que é muito importante chegar o quanto antes a um acordo com as cidades-sede de que teremos as estruturas complementares. Jogo de Copa é fundamental ter isso. A gente sabe também que uma pequena parte da população vai poder estar nos estádios. Esses privilegiados serão felizes, mas exista a opção da Fan Fest, que é uma oportunidade para que todos os torcedores possam participar da festa. Temos de garantir que todas elas ocorram", continuou.

Destaque principal do pentacampeonato mundial de 2002, Ronaldo sabe que existe ainda a possibilidade de manifestações populares durante a Copa de 2014. Por isso, ele pede para que as pessoas ajudem a mostrar o quanto o torneio será bom para o País. "A grande maioria da população é a favor da Copa, então temos de mostrar para a pequena parte que é contra que o torneio é uma grande oportunidade e um grande negócio para o País, que deixará centenas de legados para nossa população."

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolRonaldoCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.