Ronaldo, dos campos a estrela do cinema iraniano

Astro participará de filme sobre história de uma fã palestina

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

23 de julho de 2009 | 00h00

Ronaldo vai atacar em outro campo antes do fim do ano: o cinema. O Fenômeno será estrela de um filme iraniano que contará a história de uma menina de 7 anos que, antes de morrer num campo de refugiados, queria, a todo custo, conhecer o craque. Sua paixão pelo camisa 9 era grande a ponto de ter carregado o apelido de "Ronaldo." O pré-contrato foi assinado na semana passada e, em setembro, já com o roteiro na mão, o jogador assina o contrato definitivo. "Ronaldo se sentiu um privilegiado por ter a prova de amor de uma fã que mora na Palestina", comenta o empresário do jogador, Fabiano Farah.As gravações, entre três e cinco dias, ocorrerão no Líbano, para onde o Fenômeno ainda não foi. "Vamos sentar com o Corinthians, ver quais as possibilidades de datas. Pediremos a autorização da comissão técnica. As gravações poderão ser em outubro, novembro ou até mesmo em dezembro", revela Farah, descendente de libaneses e que acompanhará o amigo na empreitada. "Vou aproveitar para conhecer as minhas origens, um pouco da família, pois também nunca fui ao Líbano." Ver Ronaldo nas telonas será uma novidade para seus fãs. Ele nunca participou de filmes, mas está acostumado a atuar na frente das câmeras, pois frequentemente grava comerciais e sempre dá entrevista para canais de televisão. A produção será dos iranianos Mansur Sohrabpour e Mohammad Latif. Ronaldo fará aparições como embaixador da ONU e também como jogador de futebol. Algumas cenas de quando jogava nos grandes clubes da Europa, como Internazionale, Real Madrid e Barcelona, devem aparecer no roteiro. Não estão descartados lances com a seleção brasileira, pois essas imagens eram as mais presentes na vida da menina, fã de futebol, do jogador e que também arriscava algumas jogadas nos surrados campos palestinos."A história é verídica e bonita. O Ronaldo ficou emocionado ao conhecê-la e aguarda com expectativa as gravações", afirma Farah. "Ele vai para o Líbano com a mesma alegria na qual esteve em um tanque no Kosovo." O camisa 9 também já participou de jogos beneficentes na Palestina e em Israel, com o amigo Zidane.Apesar de o drama ser baseado numa história verídica de toda a luta de uma garota para encontrar seu ídolo e lhe entregar uma carta, sua morte não será retratada nos cinemas. A garota acabou pisando numa mina antes de concretizar o sonho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.