Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Ronaldo fala em jogo que vale a temporada

Fenômeno prevê muita cobrança no Corinthians em duelo contra Tolima nesta quarta pela pré-Libertadores

BRUNO LOUSADA, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2011 | 00h00

RIO - Ronaldo tem uma obsessão este ano: levar o Corinthians ao título da Copa Libertadores. Assim, encerraria a carreira no fim da temporada nos braços da torcida, com a alma lavada. Seria o desfecho do seu sonho de abandonar os gramados com o nome registrado na história do clube. O caminho a percorrer é longo e, de cara, decisivo: o Corinthians enfrenta nesta quarta o Tolima (da Colômbia), no Pacaembu. Será o primeiro confronto entre os dois pela pré-Libertadores.

A responsabilidade da equipe não é apenas vencer, mas ganhar bem e de preferência com boa margem de gols, para atuar com mais tranquilidade na partida de volta, dia 2 de fevereiro, em Ibagué, a fim de garantir a classificação para a fase de grupos. Num clube traumatizado pelos sucessivos fracassos na Libertadores, como a eliminação precoce no ano passado para o Flamengo, a sensação no Parque São Jorge é que chegou a hora da redenção.

"Essa semana é importante. Já tem o primeiro jogo nesta quarta pela pré-Libertadores e nossa temporada vai basicamente ser decidida nesses dois compromissos", declarou Ronaldo, convicto de que eventual fracasso no duelo com os colombianos vai desencadear crise no Corinthians. "São os dois primeiros jogos mais importantes do ano. Sem dúvida."

Em seguida, disse estar tranquilo e motivado ao máximo. Ao acrescentar que esta será sua última temporada, deparou-se com um sorriso irônico do presidente do Corinthians, André Sanchez, e brincou: "Não quer que eu pare não, presidente? Espero que seja um ano lindo, fantástico. Enfim, hoje minha presença aqui (no Rio) não é para falar de futebol."

Ele estava na sede do Sesi (Serviço Social da Indústria), na Tijuca (zona norte), para fazer caridade às vítimas da chuva na Região Serrana do Rio, que deixou mais de 700 mortos. Com apoio de um patrocinador, o atacante doou ontem 80 toneladas de mantimentos. "Só quero agradecer aqueles que já ajudaram e pedir mais contribuição", discursou, ao lado do presidente corintiano.

"Foi uma tragédia que nos deixou triste, mas, ao mesmo tempo, demonstrou que o povo brasileiro é solidário e unido." No fim da entrevista do Fenômeno, uma funcionária do Sesi comentou baixinho: "Ronaldo ainda não balançou as redes em 2011, mas hoje (ontem) fez um gol de placa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.