Ronaldo falha e Corinthians empata no Rio

Atacante perde gols que não costuma errar e equipe, apesar do domínio, fica no 0 a 0 contra o Botafogo

Sílvio Barsetti, RIO, O Estadao de S.Paulo

18 de maio de 2009 | 00h00

O mistério de Mano Menezes não surtiu efeito. O técnico do Corinthians resolveu escalar Ronaldo e o que tinha de melhor para tentar ganhar o primeiro jogo no Campeonato Brasileiro (perdeu para o Inter na estreia). Mas seu time ficou no 0 a 0 com o Botafogo, ontem, no Engenhão. Pelo que as duas equipes apresentaram, até que o empate não foi tão ruim assim para o Corinthians, principalmente pela atuação de Felipe, o destaque do clássico, autor de pelo menos cinco defesas difíceis. Acesse o canal especial e confira mais informações da rodada do BrasileirãoA presença de Ronaldo foi anunciada em cima da hora e ele teve de enfrentar a zaga e a torcida do Botafogo. Logo na primeira bola dominada, recebeu uma vaia estrondosa. Isso se repetiu nos lances seguintes. O atacante parecia às vezes distante de tudo. Deixou, porém, essa impressão para trás em duas jogadas, nas quais levou o marcador na corrida e quase fez o gol. Faltou-lhe sorte na bola rolada com leveza que saiu caprichosamente ao lado da trave. Na outra chance, Renan se sobressaiu com boa defesa.O atacante acabou substituído aos 27 minutos do segundo tempo. Pouco antes, perdeu a grande oportunidade do jogo. Foi num contra-ataque veloz que contou com a gentileza de Dentinho. Ele lançou a bola para o craque quando poderia até ter arriscado o chute. Sem marcação, Ronaldo, diante de Renan, tentou dar uma pedalada e se atrapalhou. O goleiro então deteve a bola.Se Dentinho não foi egoísta - ao contrário, mostrou coletividade -, o mesmo não se pode dizer de André Santos. No primeiro tempo, o lateral driblou dois adversários, deixou Juninho no chão e finalizou já bloqueado por Renan. Ronaldo estava a seu lado e marcaria o gol com um toque simples se a bola viesse para ele. O lance poderia ser resumido assim: André tentou fazer um gol de Ronaldo. Não conseguiu e se justificou. "Se a jogada fosse do Ronaldo, ele tentaria a conclusão como eu fiz."BOTAFOGO LEVOU MAIS PERIGOA partida do Engenhão teve momentos interessantes pela busca incessante dos dois times pela vitória. O Botafogo levou mais perigo e obrigou Felipe a defesas arrojadas - somente no segundo tempo ele parou Túlio Souza, Juninho, Thiaguinho e Léo Silva. Por isso, o goleiro foi de longe o jogador mais aplaudido pelos corintianos à saída do campo. Bem humorado, ele acenou para os torcedores do clube e aproveitou para retrucar provocações de um grupo de botafoguenses: "Trivice!, trivice!", devolveu Felipe para os adversários que o hostilizavam. O Botafogo foi três vezes seguidas vice-campeão carioca, de 2007 a 2009 - perdeu todas as disputas para o Flamengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.