Ronaldo faz o Corinthians faturar

Clube atinge R$ 37 milhões com patrocínios e ainda vai lucrar com produtos que levam a marca do atacante

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

28 de abril de 2009 | 00h00

Ronaldo ainda não completou cinco meses de Corinthians, mas alcançou uma revolução que nenhum outro jogador conseguiu no Parque São Jorge: pôr o time entre os maiores do País no quesito dinheiro. Com o Fenômeno, o clube agora pode se orgulhar de ter R$ 37 milhões de patrocínios. Graças ao camisa 9, fechou o maior acordo do Brasil, com os R$ 18 milhões da Batavo, além de outros R$ 12,5 milhões das mangas e calção (Bozzano e Grupo Silvio Santos), que se somam, ainda, aos R$ 6,5 milhões da Nike."Para os grandes jogadores voltarem ao País é preciso uma força tarefa muito grande. Os clubes, por si só, não conseguem pagar. É preciso de patrocínio de grandes empresas e, no meu caso, temos conseguido boas parcerias", comemora Ronaldo. "Acabamos de fechar a manga de camisa (com a Bozzano), que pagará parte do meu salário. São essas empresas no futebol que dão condições de os grandes voltarem ao País e de os futuros talentos não saírem tão precocemente."O acordo com a Hypermarcas, dona da Bozzano, levará o Fenômeno às tevês. E renderá R$ 5,2 mil anuais a seu bolso, já que 80% dos R$ 6,5 milhões do contrato são para o atleta. Outros R$ 4,8 milhões (de um total de R$ 6 milhões) virão do Grupo Silvio Santos, que patrocinará o calção. "Está tudo apalavrado, falta passar para o contrato. Os valores negociados, sem dúvida, foram à altura da plataforma Corinthians-Ronaldo", comemorou Fabiano Farah, empresário do atleta. "São empresas de excelência, que souberam entender que terão retorno grande, já que aparecerão na mídia eletrônica e impressa."Ronaldo deve trazer ainda outros ganhos ao clube. Com os patrocinadores fechados, agora se negocia o lançamento de vários produtos com sua marca patenteada: bonecos, livros, souvenirs. A recomendação é de que sejam de boa qualidade.Até um filme sobre sua volta ao futebol com a camisa corintiana está sendo estudado. "Prefiro não falar sobre essa possibilidade, mas é lógico que o marketing do Corinthians tem trabalhado muito para conseguir recursos, principalmente para o futebol, para que nossa condição sempre melhore", observa Ronaldo. "Mais para a frente podemos falar sobre isso. Deixa a coisa ficar mais concreta", pede. Só faz questão de não se considerar apenas um garoto-propaganda: "Falaram que eu era um jogador de exibição, de marketing... Ouvi muitos comentários sem fundamento. Mesmo com meu histórico de conquistas e superação, tive de ouvir tudo isso e, no entanto, a história mudou. Provei que não é só isso, e continuam falando besteiras. Também tem muita gente falando coisa boa, e isso é o importante."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.