Ronaldo muda cara do Corinthians

Mano Menezes admite: terá de alterar o esquema e reforçar o setor de marcação do time com a entrada do craque

Anelso Paixão e Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

15 de dezembro de 2008 | 00h00

Mano Menezes não quer ser interrompido em suas férias. Visitou a filha na Inglaterra e também deu uma passada pela Argentina. Agora só fala em descansar, repor as energias, para o trabalho duro que começa para valer no dia 26, data da reapresentação do elenco. Mas já confidenciou a pessoas próximas: vai ter de quebrar a cabeça para armar o Corinthians titular de 2009. "Vamos ter muito trabalho."A frase poderia ser interpretada apenas pela volta do time à elite nacional. Afinal, a equipe terá de ser mais forte para encarar jogos mais difíceis. Ou simplesmente pelo assédio e interesse da opinião pública em cima do atacante Ronaldo, a quem definiu como "um importante reforço".A ligação com o novo atacante tem mais sentido. Explica-se. Com Ronaldo (que faz trabalho físico para tentar perder peso e atingir, o mais rápido possível, uma boa forma), o treinador já sabe que tem um jogador praticamente intocável. Bem diferente de 2008, quando utilizou algumas opções de ataque, sem nomes fixos: Finazzi e Acosta, Finazzi e Dentinho, Acosta e Dentinho, Herrera e Acosta, Herrera e Dentinho ou optou, algumas vezes, por Otacílio Neto, Careca ou Bebeto ao lado de algum deles.Agora, devem ser sete jogadores - Brandão ainda não bateu o martelo - lutando para dividir o ataque com o Fenômeno. Dentinho, teoricamente sairia na frente, pois os dirigentes esperam usar a imagem de Ronaldo para promover seu garoto e conseguir lucrar com uma eventual venda para o mercado europeu. "Precisamos fazer caixa e qualquer jogador aqui é negociável", costuma dizer o presidente Andrés Sanchez, consciente da difícil situação financeira. A cúpula corintiana espera lucrar com o jovem artilheiro o mesmo que ganhou com o meia Willian, vendido na temporada passada por cerca de US$ 19 milhões (hoje, aproximadamente R$ 50 milhões).Dentinho, contudo, só pensa em atuar ao lado do ídolo da infância. Não quer, de jeito nenhum, perder uma oportunidade dessas. Mesmo que uma proposta apareça... "Vou dar a minha vida por ele, faço o que for para ele voltar a jogar bem", comentou o atacante. "Sei que dará a volta por cima no Corinthians", prosseguiu. "Será uma honra jogar a seu lado."Herrera, ídolo da torcida na temporada, corre por fora. Isso se o Corinthians conseguir seu reempréstimo por mais uma temporada. Mas está ganhando mais um concorrente. Jorge Henrique fez exames médicos na sexta-feira e assina durante a semana. A diretoria do Alvinegro já acertou tempo de contrato e salários. Falta apenas a liberação do Botafogo. "Jogar com Ronaldo será fantástico", comentou Jorge Henrique, também fazendo sua propaganda.Além deles, Acosta, recuperado de fratura na perna direita, Otacílio Neto, contratado no fim da temporada passada, e Brandão, sonhando em chegar ao clube, querem jogar ao lado do Fenômeno.Mas como ficaria a retaguarda com Ronaldo? Mano Menezes gostou de ver o time atuando com dois zagueiros em 2008 e não descarta possibilidade de repeti-lo em 2009. Contudo, sabe que está ganhando um jogador sem características de marcação, ao contrário de Herrera, seu último titular. O astro duas vezes campeão do mundo raramente fez questão de ajudar os defensores. Também nunca lhe foi pedido isso. Afinal, com o talento que tem não haveria razão para que se submetesse a desgaste extra ao ajudar zagueiros ou volantes. Agora, aos 32 anos e depois de tantos problemas físicos, vai jogar ainda mais plantado na frente.REFORÇO NA MARCAÇÃOA saída seria reforçar a marcação no meio-de-campo, com dois volantes mais defensivos. Túlio, contratado do Botafogo a pedido do treinador, é carta quase certa no baralho de Mano Menezes. E o outro seria... Mais um mistério. Cristian e Elias fizeram dupla interessante na reta final da Série B. Fabinho, titular até se machucar, já está recuperado, assim como Bruno Octávio, afastado desde o começo do ano com lesão grave no joelho. Nilton também deu conta do recado quando solicitado e não pensa em deixar o Parque São Jorge.O que facilita um pouco a vida de Mano Menezes é saber que no gol, na zaga, nas laterais e na armação já tem seu nomes preferidos, todos mantidos da atual temporada e com total aval do comandante alvinegro. "Vamos montar um time para fazer bonito na elite, para brigar por títulos, o que o corintiano espera", garante o entusiasmado Andrés Sanchez. A arrancada tem início previsto para 21 de janeiro, contra o Barueri, provavelmente no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista, ainda sem Ronaldo. A estréia na Copa do Brasil está marcada para 4 de março, diante do Itumbiara, em Goiás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.