Ronaldo promete ''emagrecer'' amanhã

Astro diz que ?perderá? dois quilos (marcará dois gols) contra o Inter

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

16 de junho de 2009 | 00h00

O melhor jogo de Ronaldo com a camisa do Corinthians foi na decisão do Campeonato Paulista. Fez dois belos gols diante do Santos, na Vila Belmiro, e ganhou elogios até do Rei Pelé. Ainda brilhou diante do Atlético-PR, no Pacaembu, novamente com dois gols e belas jogadas. Mas, desde daquele 6 de maio, já são cinco jogos sem balançar as redes e 40 dias passando quase despercebido em campo.Ronaldo explicou ontem os motivos da queda de rendimento e prometeu que, amanhã, diante do Internacional, pela decisão da Copa do Brasil, no Pacaembu, o Fenômeno estará de volta. "Quero muito que quarta-feira seja o dia de Ronaldo. Espero estar 100%, pelo menos fisicamente", afirmou, ainda acusando uma forte gripe. "Tive um mês e meio bem difícil por causa da lesão na panturrilha e de duas gripes. Agora estou com uma bem pesada. Acabou o jogo de ontem (domingo, diante do Goiás) e estava com febre."O semblante já revelava seu sofrimento. "Estou tomando muita coisa: vários analgésicos, vitaminas, antibiótico..." Mesmo assim, Ronaldo fez questão de falar: "Nada disso justifica a ausência de gols. A gripe vai estar curada até quarta. E a lesão já foi resolvida", garantiu, otimista em brilhar diante dos gaúchos. "Espero corresponder, pois é nosso principal objetivo no ano. Portanto, temos de aproveitar esse primeiro jogo em casa porque o segundo vai ser muito difícil também", disse.Corresponder, no caso de Ronaldo, significa fazer gol. Ele deixou nas entrelinhas que pretende marcar dois, ao usar uma comparação com seu próprio peso. Dias atrás, dizia que emagrecia um quilo a cada gol convertido. E, ao ser questionado como seria contra o Inter, emendou: "Espero perder um ou dois quilos." Render bem na decisão e garantir o título ao Corinthians faria valer - em quatro meses jogando - o investimento da diretoria. O Fenômeno chegou ao Parque São Jorge com uma missão: classificar o time à Taça Libertadores de 2010, ano do centenário do clube.Mas como superar o forte conjunto gaúcho? "É muito importante não levar gols em casa. E, se puder ganhar, é muito melhor", disse o atacante. "Precisamos jogar para frente, mas tomando cuidado com o time deles, que é leve e rápido."Elogios ao rival, tudo bem. Mas nada de considerá-lo favorito. "Não tiro o mérito do Inter, que está jogando muito bem. Mas não é um bicho de sete cabeças", afirmou Ronaldo. "Temos toda condição de ganhar."Em seu raciocínio, o camisa 9 leva em conta os fatos de o time jogar em casa - onde ainda não sofreu gol pela Copa do Brasil -, de o estádio estar lotado e de o rival não ter D?Alessandro (machucado) nem Bolívar (suspenso), além das ausências de Kléber e Nilmar, ambos na seleção. "Mas não temos o André Santos e estamos sofrendo para encontrar um substituto", fez questão de lembrar o técnico Mano Menezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.