Ronaldo ri. E garante a alegria no Corinthians

Atacante esbanja bom humor. Mas, sério, diz não ter pressa para jogar

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

30 de dezembro de 2008 | 00h00

A espera foi longa, mais de duas horas, mas valeu a pena. A primeira entrevista de Ronaldo após sua apresentação veio carregada de bom humor, várias brincadeiras e muitas gargalhadas. O Fenômeno não deixou perguntas sem respostas ontem, no Parque São Jorge, garantiu não ter pressa para estrear e que vai dar muitas alegrias aos corintianos."Vamos rapidinho, pois tenho de almoçar e voltar ao trabalho", chegou dizendo na sala de imprensa, antes de o relógio marcar meio-dia, com seu tradicional sorriso largo estampado no rosto. Logo se espantou ao ver a rapidez com a qual jornalistas se prepararam para bombardeá-lo de questões. "Nossa, isso é muito organizado."De cara, teve de dizer quando pretende estrear. "Eu não sei, não tenho uma previsão. Mas vou esperar o tempo que for necessário", afirmou. "Não estou com pressa, o clube não está, o treinador também não. Lógico, os torcedores querem muito, mas o desejo fica em segundo lugar. Eu quero muito voltar. Porém, vou fazer as coisas certinho, respeitar os passos da recuperação. Só quando estiver 100%, volto", enfatizou.Ronaldo repetiu o pedido de paciência feito na apresentação. Ele lembrou estar voltando de lesão grave - cirurgia no joelho. "Passo por um período duro, tenho de ganhar força, perder peso, mil coisas que temos de conquistar aos poucos", declarou. Contudo, falou o que o corintiano espera dele. "Quando estiver no campo, a cobrança tem de ser total, máxima. Vou assumir meu papel, minha responsabilidade de dar em campo o que esperam de mim. Tenho objetivos de conquistas, coletivamente e individuais."A coletiva teoricamente correta deu lugar à descontração justamente no assunto sobre o seu peso. Quando todos pensavam em uma resposta atravessada por causa das piadinhas de que virou alvo, Ronaldo garantiu o riso. "Não me incomodam (as piadas). Claro que para um jogador de futebol, ainda estou acima do peso. Mas meu percentual de gordura aqui (na sala de imprensa) não é maior do que o de ninguém", garantiu, chamando os jornalistas de gordinhos. "Aqui, o pessoal é bem acima do que eu. Você até precisa de duas cadeiras", apontou para um repórter, rindo à toa, como todos na lotada sala.Até ao falar da saudade da filha Maria Sophia, que nasceu no dia 24 e está no Rio, Ronaldo garantiu a alegria. "Claro que a saudade é grande, mas o Ronald (o outro filho) esteve com ela e fizeram uma foto juntos. Ela está no meu celular", revelou. "Mas, nesse momento, não serei útil, do meu peito não sai leite, nem tenho habilidade em trocar fralda. E nesse período, ela só chora, caga e mama", disse, provocando mais gargalhadas. "Mas me deu uma enorme injeção de ânimo", acrescentou.O craque ainda elogiou a conversa com o técnico Mano Menezes. "Uma pessoa incrível, que dá segurança e tranqüilidade para trabalharmos." Gostou, ainda, da pré-temporada de 15 dias em Itu - o time embarca para o interior de São Paulo na sexta-feira e retorna no dia 17. "Vai ser bom ficar 20 dias num lugar só, com dieta bem tranqüila, se alimentando bem, treinando. É difícil, chato ficar isolado, mas com objetivo importante, o sacrifício é válido."Sobre estar em campo num amistoso no dia 17, o camisa 9 garantiu não saber de nada. Entretanto, fez um alerta. "Sou atleta do grupo e estou aqui para jogar futebol. Só que ainda falta uma estrada longa, não tão longa é bem verdade, para eu voltar. E tem de ser respeitado."Ele disse estar fazendo de tudo para voltar a jogar bem - além dos exercícios, já trabalha com bola nos treinos da tarde, também na sala de musculação e fisioterapia do clube.Ronaldo jurou não ter traído o Flamengo e só perde a alegria quando invadem sua vida pessoal. Ficou irritado com perguntas sobre ter ido a dois shows de Madonna (dia 15, no Maracanã, e 18, no Morumbi) e sobre acompanhar o nascimento na filha, período em que ficou sem treinar. "Se quiserem, vivo só de futebol, treino de madrugada, almoço uma bola. Mas tenho certeza que ninguém fica na redação todas as madrugadas, que não jantam na redação. Acho que a vida pessoal é bem particular", desabafou. "Tenho respeito e obrigação de passar coisas sobre meu trabalho. Agora, se fui a um show, restaurante ou cinema, não diz respeito a ninguém", reclamou. Se Ronaldo cumprir a promessa de marcar muitos gols pelo Alvinegro e de levar o time à Taça Libertadores de 2010, o corintiano já vai agradecer. O QUE ELE DISSERonaldoAtacante do Corinthians"Claro que para um jogador, ainda estou acima do peso. Mas meu percentual de gordura aqui (na sala de imprensa) não é maior do que o de ninguém""Vou assumir meu papel de dar em campo o que esperam de mim"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.