Ronaldo vira escudo do elenco e pede paciência à torcida

Fenômeno diz que culpa pelo clube não ter ganho a Libertadores não é do atual grupo e espera que pressão não aumente

, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2010 | 00h00

Após a derrota para o Paulista, em Barueri (1 a 0), Ronaldo fez questão de assumir a culpa pelo tropeço. Pediu, na época, tranquilidade à torcida com os mais jovens. Ontem, um dia após a eliminação no Estadual, o camisa 9 novamente atuou como escudo do grupo. Ciente de que a pressão pela conquista da Libertadores pode tumultuar o ambiente, ele novamente exigiu paciência.

"Se puder proteger meus companheiros, farei com o maior prazer", afirmou. "Não temos culpa que o Corinthians não ganhou a Libertadores até hoje. A pressão vem em cima de nós porque temos essa chance e ninguém vai fugir dela. Só não precisamos receber mais pressão do que realmente já existe", pediu o atacante. Um discurso que tomou conta de todos no grupo. "A pressão não vai aumentar porque já começou alta pela conquista da Libertadores", disse Mano Menezes. "Basta sabermos lidar com ela", salientou o treinador.

"Infelizmente, nossa equipe foi se conhecendo durante o Paulista. Tínhamos a intenção de conquistar esse título. Não deu, temos de seguir forte na Libertadores, onde temos a melhor campanha", enfatizou o diretor de futebol Mário Gobbi.

A postura de jogo do segundo tempo diante do Rio Claro é a esperança para a equipe seguir bem na competição intercontinental. "Temos de melhorar nessa linha, pois o objetivo é a Libertadores. E se o ciclo (manutenção do elenco) só ia até o fim dela, temos de nos esforçar para estarmos juntos até o fim do ano. Esse grupo não merece se separar", disse, imaginando que, com a conquista da competição, o elenco será todo mantido para o Mundial de Clubes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.