Wagner Carmo/CBAt
Wagner Carmo/CBAt

Rosângela Santos e Vitória Rosa garantem índice dos 100m para o Mundial

Atletas completaram a distância em menos de 11s26, marca exigida pela Associação Internacional de Federações de Atletismo

Estadão Conteúdo

09 de junho de 2017 | 20h54

A disputa dos 100m livre feminino foi o ponto alto do primeiro dia de disputas do Troféu Brasil de Atletismo. Nesta sexta-feira, Rosângela Santos e Vitória Rosa fizeram bonito em São Bernardo do Campo, São Paulo, e garantiram índice da prova para o Mundial de Londres, que será disputado em agosto.

Rosângela foi a vencedora da disputa, ao cruzar a linha de chegada em 11s20, enquanto Vitória veio logo na sequência, com 11s24. As duas, porém, fizeram o suficiente para completar a distância em menos de 11s26, índice exigido pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

"Estava batendo na trave e agora, felizmente, a marca saiu. Estou muito contente e espero melhorar o tempo nas próximas semanas na Europa", celebrou Rosângela. Vitória, que já tinha índice nos 200m, sua especialidade, também comemorou bastante o índice. "Os 200m são minha prova preferida, mas meus resultados mostram minha evolução. Acho que posso correr mais rápido ainda as duas provas."

No masculino, o título dos 100m ficou com Paulo André. O jovem de 18 anos mostrou por que é uma das promessas do atletismo brasileiro e faturou o ouro mesmo sentindo uma lesão na reta final da prova. O tempo de 10s18 não lhe deu o índice para o Mundial, de 10s12, mas garantiu o recorde sul-americano sub-20.

"Levei um susto. Minha perna prendeu e se não fosse isso poderia ter sido mais rápido", considerou. "Fiquei 74 dias num camping de treinamento da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e do COB (Comitê Olímpico do Brasil) nos Estados Unidos, e os resultados estão surgindo."

Quem também mostrou serviço nesta sexta foi Wagner Domingos, o "Montanha", que voltou a conquistar o ouro do Troféu Brasil no lançamento de martelo com a marca de 73,82m. O finalista olímpico do ano passado, no entanto, não gostou do desempenho. "Esperava um resultado bem melhor, mas infelizmente não saiu. Preciso acertar alguns detalhes e melhorar a marca", avaliou.

Na prova feminina, Mariana Marcelino conquistou a medalha de ouro e quebrou seu próprio recorde brasileiro ao alcançar 67,02m. "Foi uma boa competição, estou feliz com o resultado, mas ainda posso melhorar. Sei que progredi bastante, mas preciso crescer na parte técnica", garantiu.

No salto com vara, também entre as mulheres, um fato curioso. Juliana Campos e Patrícia Santos, companheiras de equipe da B3, dividiram o título ao saltarem 4,10m, resultado que gerou reações diferentes entre elas. "O resultado pode não ter sido tão bom, mas as condições também não ajudaram, principalmente o vento e o frio", comentou Juliana. "Só pensava em ficar entre as três primeiras. Então, me superei", revelou Patrícia.

Na disputa dos 10.000m, Daniel Ferreira do Nascimento, de apenas 18 anos, conquistou o ouro entre os homens com a marca de 29min13s34, novo recorde sul-americano sub-20. Já no feminino, a vitória ficou com Tatiele Roberta de Carvalho, que completou a distância em 33min48s50.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoRosângela Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.