Rossi vence e coloca 50 pontos de vantagem sobre 2.º

O espanhol Jorge Lorenzo cai, o italiano ganha de novo na República Checa e soma o 160.º pódio da carreira

BRNO, REPÚBLICA CHECA, O Estadao de S.Paulo

17 de agosto de 2009 | 00h00

O campeão mundial de MotoGP, o italiano Valentino Rossi, da Yamaha, venceu ontem o Grande Prêmio de República Checa e ficou mais perto de conquistar o título deste ano depois da queda de seu principal rival e companheiro de equipe, o espanhol Jorge Lorenzo. Essa foi a 102ª vitória da carreira de Rossi.Depois do abandono de Lorenzo por causa da queda nas voltas finais, Rossi, que havia largado na pole position, venceu a prova com facilidade e aumentou para 50 pontos a sua vantagem como líder do atual campeonato. Valentino soma agora 212 pontos, contra 162 do vice-líder Jorge Lorenzo e 150 sobre o terceiro colocado, o australiano Casey Stoner.O espanhol Dani Pedrosa, que terminou o Grande Prêmio da República Checa em segundo lugar, é o quarto colocado na competição com 135 pontos. O terceiro colocado no circuito de Brno foi o também espanhol Toni Elias, da Honda. O GP da República Checa foi disputado sob forte calor, mesmo assim 138 mil espectadores acompanharam a prova.Valentino Rossi, que também havia vencido na República Checa no ano passado, assumiu a liderança rapidamente, embora sempre pressionado por Lorenzo. O espanhol chegou a ultrapassar seu companheiro de equipe, mas em uma das curvas se inclinou demais e acabou caindo depois que sua moto derrapou. Com isso, o italiano não teve mais problemas para ganhar no circuito de Brno, de 5,4 quilômetros de extensão, logrando o pódio de número 160 de sua carreira.Apesar da queda que o tirou da prova, o dia não foi inteiramente ruim para Lorenzo. O piloto espanhol, que ainda não renovou seu contrato com a Yamaha, teria recebido uma oferta de 3,5 milhões da Ducati, já que os problemas físicos do australiano Casey Stoner, piloto oficial da marca, persistem.Valentino Rossi disse que uns ajustes feitos em sua moto lhe permitiram sentir-se mais cômodo para suportar o forte assédio de Lorenzo, que havia sido mais rápido durante os treinos da semana."Desde aquele momento me senti muito mais relaxado", explicou Rossi sobre a queda de Lorenzo. "Desfrutei do circuito como um turista nas últimas cinco voltas", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.