Roxa? Só a paixão pelo Corinthians

Gaviões reprova cor da nova camisa: 'Foge da nossa tradição e história'

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2008 | 00h00

O corintiano está roxo e não só de paixão pelo time. O sentimento é de raiva, por causa da nova camisa, que fará sua estréia amanhã, diante do Marília, no Morumbi. O uniforme número três não agradou justamente a quem seria homenageado - "só o corintiano é roxo" - e deve fazer cinzas rapidamente."Esta cor foge totalmente da tradição e da história do Corinthians. A Gaviões da Fiel não concorda em ter uma camisa oficial roxa e já mandou uma carta para o clube reclamando", informou um diretor da organizada. "Se fosse comemorativa, ou de passeio, até entenderíamos, mas oficial não agradou."A torcida uniformizada vem sendo forte aliada do departamento de marketing nesta caminhada para reerguer a marca do clube e na arrecadação de verbas. Vale lembrar do sucesso de vendas de outra camisa, a "Eu nunca vou te abandonar".Os dirigentes estudam mudar a denominação da camisa para amenizar o impacto nos torcedores. Ontem, por exemplo, enquanto o clube apresentava o novo ônibus do elenco, também todo roxo, os muros do Parque São Jorge eram pichados em forma de protesto. "O time do povo é preto e branco, roxo não", "Preto e branco é tradição" e "Somos Alvinegros" foram algumas das frases contrárias à camisa.Até uma camisa bege lançada na era Alberto Dualib foi aceita pelo torcedor. Uma homenagem ao uniforme de 1914. "Tinha história. E essa, representa o quê?", indaga o torcedor.Na loja oficial do clube, o torcedor que quiser comprar uma camisa oficial não tem outra opção que não seja a roxa. Segundo os vendedores, por causa da Nike, em atraso com o envio das camisas branca e da preta.A empresa esportiva rebate. "A Nike esclarece que as entregas do produto às lojas estão seguindo o planejamento estipulado", garante David Grinberg, gerente de comunicação.Mano Menezes diminui o impacto do novo uniforme. "As pessoas envolvidas no projeto pensam no melhor e se acham esta hora boa, vamos seguir. Não acredito que a camisa mude o rendimento da equipe."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.