Rubinho diz que Brawn anda menos no frio

Rubens Barrichello demonstrou resignação, ontem, na sua pista favorita, Silverstone, com o 3º lugar. Sua equipe, a Brawn GP, havia vencido seis das sete etapas disputadas. "Já havia dito sábado: a 3ª colocação seria o máximo possível. Larguei em segundo, já estava no lucro." Mas acabou a corrida em terceiro. "A Red Bull, mesmo mais pesada, conseguia ser mais rápida do que nós aqui. Por isso, perdi o segundo lugar para o Mark Webber no primeiro pit stop."Assim como o companheiro, Jenson Button, Rubinho reconheceu que a Brawn precisa estudar o problema da temperatura dos pneus. "Na China, onde a Red Bull venceu também, tivemos o mesmo problema. Se faz frio, nós não aquecemos os pneus e eles não têm essa dificuldade." Com os pneus duros, depois do primeiro pit stop (19ª volta), Rubinho perdeu tanto desempenho que Nico Rosberg, da Williams, e Felipe Massa, da Ferrari, ameaçaram seu 3º lugar. "O carro passou a sair de traseira. Com os (pneus) moles, depois, melhorou. Mas, em Nurburgring, às vezes, é muito frio", lembrou Rubinho a respeito da próxima etapa. Depois de Vettel, o melhor piloto da corrida foi Massa. A mesma Ferrari, sem nada de diferente, esteve mal na classificação, tanto que o brasileiro obteve apenas o 11º tempo, mas, ontem, fora a Red Bull, era o carro mais veloz. "O que nos vem à mente para explicar nossa incrível melhora é a elevação da temperatura em 3 ou 4 graus e os pneus trabalharem melhor. Atingimos a faixa onde eles oferecem maior aderência."O 12º lugar não traduz o bom trabalho de Nelsinho Piquet, da Renault. "A história se repete, preciso melhorar nas classificações." Seu companheiro, Fernando Alonso, foi o 14º.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.