Rubinho é sétimo no mountain bike e Brasil mantém jejum no ciclismo do Pan

Era dia 21 de agosto de 2007 quando o Brasil ganhou sua mais recente medalha no ciclismo dos Jogos Pan-Americanos. Depois, passou zerado por Guadalajara e pelas duas primeiras das quatro disciplinas que serão disputadas em Toronto. O domingo foi dia de mountain bike e, no masculino, o melhor resultado foi um sétimo lugar, de Rubinho Valeriano.

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2015 | 18h45

O veterano de 35 anos, aliás, havia sido prata no Pan do Rio. Também subiu ao pódio duas vezes (em 2010 e 2012) em Campeonatos Pan-Americanos. Em Toronto, entretanto, ficou o tempo todo longe da medalha. Em um circuito de 5,2 quilômetros, foi vendo aumentar, ao fim de cada volta, sua diferença para os líderes.

Completou a competição em 1h36min37s, a 5min23s do campeão, o canadense Raphael Gagné. A Argentina ganhou prata com Catriel Soto, enquanto os EUA faturaram o bronze com Stephen Ettinger. Os três se revezaram na liderança durante toda a prova.

O Brasil também foi representado pelo jovem Luiz Cocuzzi, que mora e compete pela equipe de um orfanato tocado pelos pais na periferia de São Paulo. O garoto, de 21 anos, acabou na 16.ª colocação, a mais de 13 minutos do campeão pan-americano.

Principal brasileiro do mountain bike, Henrique Avancini, 16.º do ranking mundial, optou por não participar do Pan e priorizar a temporada europeia. Ele é o atleta pan-americano mais bem colocado no ranking.

Mais cedo, na prova feminina, o Brasil obteve um quinto e um sexto lugares, com Raiza Goulão e Isabella Lacerda. No sábado, nas disputas do BMX, ficou em quarto com Anderson Ezequiel e Priscila Carnaval. O ciclismo de pista, no qual o Brasil nunca ganhou medalhas, começa na quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosciclismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.