João Neto/ Fotojump
João Neto/ Fotojump

Rúgbi do Brasil encara All Blacks Maori no maior jogo de sua história

Expectativa é de mais de 30 mil pessoas no Morumbi para a partida deste sábado às 19 horas

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2018 | 05h00

Com expectativa grande de público - mais de 30 mil ingressos foram entregues antecipadamente, incluindo cortesias -, o Brasil enfrenta hoje os All Blacks Maori, seleção de rúgbi da Nova Zelândia, uma espécie de segunda força do país que é a maior potência da modalidade no mundo. O duelo será no estádio do Morumbi, às 19h, e será histórico.

Primeiramente, porque será o recorde de público em uma partida da modalidade no Brasil. Segundo, por se tratar de uma visita inédita e muito aguardada. "É o jogo mais importante do rúgbi brasileiro e tenho certeza de que os jogadores vão dar o máximo", diz Rodolfo Ambrosio, técnico argentino da seleção brasileira.

Os jogadores rivais chegaram ao Brasil na segunda-feira e puderam vivenciar um pouco a cultura local. Fizeram treinos abertos, clínicas e visitaram um projeto social ontem em Paraisópolis, o Rugby para Todos. "Está sendo muito legal essa nossa primeira vez no Brasil", afirma Josh Ioane, uma das revelações dos Maori e que espera uma chance nos All Blacks. "É o meu objetivo."

Para a partida no Morumbi, uma série de ativações será feita por patrocinadores no estádio em um dia que a estação de metrô São Paulo - Morumbi funcionará em período integral (até 1h da manhã) pela primeira vez. A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) vai aproveitar para vender camisetas comemorativas desta partida e o jogo terá até um programa especial apresentando o duelo.

"A relevância dos All Blacks Maori é evidente, em qualquer lugar do mundo que vão. Eles têm um magnetismo único e esperamos que a torcida tenha no Morumbi a mesma energia que foi demonstrada nos últimos dias pelos fãs", comenta Agustin Danza, CEO da CBRu, lembrando que o jogo terá transmissão do SporTV 2 e também pelo Twitter.

Do outro lado, o técnico Clayton McMillan sabe que sua equipe é favorita para o encontro, mas tem certeza de que a partida vai muito além do resultado em campo. Ele sabe que ver os melhores do mundo no rúgbi em ação será um espetáculo para a torcida brasileira. "Na Nova Zelândia crescemos com o rúgbi como meio de vida e estamos orgulhosos de como ajudamos a desenvolver a modalidade em outros países", avisou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.