Russa do salto com vara diz que quebrou o pé na Olimpíada por causa do vento

SÃO PAULO - Ex-recordista mundial do salto com vara e medalha de bronze no Mundial de Daegu, a russa Svetlana Feofanova revelou que quebrou o pé direito em três partes durante a disputa das eliminatórias da Olimpíada de Londres, por causa do forte vento da competição."Era como saltar contra uma parede", afirma. A brasileira Fabiana Murer também reclamou da força do vento e, apesar de ter saltado 4,50 m, não conseguiu um lugar na final, vencida pela americana Jennifer Suhr.

O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2012 | 14h43

 

"A Olimpíada acabou tão logo começou para mim. Eu estava em boa forma e pronta para saltar 4,80 m ou 4,85 m", disse a russa, que criticou muito as condições climáticas da prova em entrevista ao site European Athletics. "Pode ter sido um pouco mais fácil saltar naquelas condições para as garotas mais pesadas, eu não sei. O fato é que os organizadores não fizeram um bom trabalho, disso eu tenho certeza."

 

Feofanova terminou a competição sem atingir nenhuma marca. Ela fez dois saltos de 4,40 m e, após errá-los, optou por sua última tentativa a 4,50 m. Mas também não conseguiu saltar. "Primeiro eu corria contra o vento. Depois, o vento estava nas minhas costas. Os organizadores tinham que ter alguma responsabilidade sobre isso. Não era um vento possível de ser ignorado. Meu técnico me disse para saltar, mas era como pular contra uma parede."

 

Foi no segundo salto que Feofanova sentiu que algo estava errado com o seu pé. Após a competição, fez uma ressonância para tentar achar o problema. Não achou nenhum grande problema. Apenas quando voltou para a Rússia é que a lesão ficou aparente. E a saltadora descobriu que tinha fraturas.

 

"O elemento sorte está sempre presente no esporte. Mas todo atleta aplica tempo e esforço em anos de preparação. Se você vence uma Olimpíada, você pode ficar rico. Se você perde, fica como eu. E tudo por causa dos organizadores, que não quiseram mudar a posição do setor de salto com vara."

 

Após revelar o ocorrido, Feofanova ganhou a solidariedade do técnico da recordista mundial Yelena Isinbayeva, Yevgeniy Trafimov. "Eu sinto muito por ela, que estava em grande forma. Era quase impossível saltar com um vento como aquele, o setor de saltos era uma desgraça. As atletas tiveram que saltar contra o vento e Sveta fez isso, mas acabou quebrando o pé."

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.