Tatyana Makeyeva / Reuters
Tatyana Makeyeva / Reuters

Rússia diz que recuperou direitos olímpicos após suspensão por doping

COI analisa casos de doping dos russos nas Olimpíadas de Inverno como isolados

Estadão Conteúdo

28 de fevereiro de 2018 | 12h44

A Rússia surpreendeu nesta quarta-feira e garantiu que teve a suspensão por casos sistemáticos de doping no país encerrada. Autoridades do esporte russo revelaram que receberam do Comitê Olímpico Internacional (COI) a garantia da recuperação dos direitos olímpicos.

+ Russa do bobsled admite doping em Pyeongchang e é desclassificada dos Jogos

+ Bronze em Pyeongchang, russo do curling pego no doping desiste de depor na CAS

Em entrevista à agência de notícias TASS, o presidente do Comitê Olímpico Russo, Alexander Zhukov, declarou que recebeu uma carta do COI nesta quarta-feira comunicando a reintegração do país ao movimento olímpico. A entidade internacional, no entanto, ainda não se pronunciou sobre o assunto.

O COI havia anunciado a suspensão à Rússia em dezembro, graças a uma "manipulação sistemática sem precedentes" do sistema antidoping, que teve como ponto alto a disputa da Olimpíada de Inverno de Sochi, em 2014. Com isso, o país foi impedido de competir nos Jogos de Inverno deste ano, em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

Mesmo assim, 168 atletas tiveram os históricos de exames avaliados e receberam convites para a disputa em Pyeongchang, defendendo uma bandeira neutra. Dois deles testaram positivo para substâncias proibidas ao longo dos Jogos, incluindo Alexander Krushelnitsky, que teve retirada a medalha de bronze no curling.

O COI, porém, parece ter entendido que estes novos casos de doping foram isolados e decidiu encerrar a punição à Rússia. O presidente da entidade, Thomas Bach, chegou a dizer que só recomendava a reintegração do país quando nenhum atleta local fosse flagrado por uso de substâncias proibidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.