Christinne Muschi/Reuters
Christinne Muschi/Reuters

Rússia diz ter chegado a 'entendimento' com a Wada sobre dados de doping

Agência internacional investiga esquema organizado pelo governo russo em competições esportivas

Redação, Estadão Conteúdo

09 de janeiro de 2019 | 22h05

O Kremlin disse nesta quarta-feira que há um "entendimento" sobre como a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) receberá dados cruciais sobre o uso de substâncias dopantes por atletas russos.

Funcionários da agência internacional chegaram a Moscou nesta quarta-feira, na terceira visita para coletar as informações. Os dados laboratoriais de Moscou poderiam ajudar a Wada a fazer acusações contra vários atletas russos que teriam incorrido em doping nos últimos anos.

A Rússia perdeu o prazo, que se encerrava em 31 de dezembro, para entregar as informações, o que significa que a sua agência antidoping poderá sofrer sanções da organização internacional.

"Houve alguns desentendimentos que surgiram da última vez sobre como se transferirá os dados e para quem", disse, nesta quarta-feira, Dmitry Peskov, porta-voz do presidente da Rússia, Vladimir Putin. "Pelo que sabemos através de nossas autoridades esportivas, há intensos contatos em marcha e um entendimento foi alcançado com representantes da Wada sobre como o trabalho vai continuar", acrescentou.

James Fitzgerald, porta-voz da Wada, disse que a equipe de três pessoas da agência havia chegado na capital russa. "Eles estão ansiosos para começar o trabalho amanhã", disse Fitzgerald em um e-mail enviado para a agência de notícias The Associated Press. A Wada estima que a equipe ficará três dias na Rússia, segundo o porta-voz. "Poderia ser mais ou menos", acrescentou.

Apesar dos protestos de atletas e organizações esportivas, a Wada levantou em setembro a suspensão para a agência antidoping russa, a Rusada, desde que os dados fossem entregues até 31 de dezembro. Uma delegação da Wada que visitou o país no mês passado saiu com as mãos vazias, pois as autoridades de Moscou alegaram que seu equipamento não era certificado pela lei russa.

Embora o prazo tenha expirado, a Wada disse que poderia aceitar a cooperação da Rússia antes de uma decisão ser tomada pelo seu comitê sobre a Rusada na próxima semana. Moscou também deve permitir o acesso a amostras armazenadas para que sejam analisadas antes de 30 de junho.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.