Andrzej Gyrgiel / EFE
Andrzej Gyrgiel / EFE

Rússia e Estados Unidos trocam acusações sobre doping em fórum da Wada

País europeu ainda atravessa consequências de escândalo de doping promovido pelo governo, descoberto em 2014

Redação, Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2019 | 17h44

Estados Unidos e Rússia entraram em confronto nesta quarta-feira, em discursos sobre doping, com troca de acusações mútuas. O conflito se deu em uma sala de conferências na Polônia, na cidade de Katowice, em um fórum sobre regulamentação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).

Os discursos, pronunciados por Travis Tygart, da Agência Antidoping dos Estados Unidos, e pelo ministro dos Esportes da Rússia, Pavel Kolobkov, ilustraram a rachadura aberta nos últimos cinco anos após a descoberta esquema de doping no esporte russo, com apoio governamental, que afetou drasticamente o esporte olímpico e, recentemente, colocou em risco a elegibilidade do país para competir nos Jogos de Tóquio no próximo ano.

"Não podemos permitir que o esquema de doping de um país, patrocinado por sua governo, roube medalhas e a glória de atletas honestos", afirmou Tygart. "A de Tóquio será pelo menos a quinta Olimpíada, onde o doping de países, não atletas honestos, é o problema".

Não muito longe de Tygart estava Kolobkov, que falou meia hora depois para reiterar os argumentos da Rússia. "Há uma necessidade vital de uma nova geração de atletas", disse, lembrando ao público que "o esporte não tem nada a ver com política, que os esportes se unam".

A Rússia já declarou reiteradamente que pedidos para puni-los são fortemente motivados por interesses políticos. Tygart e vários de seus colegas de agências antidoping rebatem esse acusações destacando evidências de duas investigações, realizadas com o apoio da Wada em 2015 e 2016, que expôs a trama de doping patrocinada pelo governo para a conquista de medalhas nos Jogos de Inverno de Sochi e em outros grandes eventos esportivos.

Tudo o que sabemos sobre:
dopingAgência Mundial Antidoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.