Edgar Su / Reuters
Edgar Su / Reuters

Rússia revela segundo caso de doping nos Jogos de Inverno

Exame de Nadezhda Sergeeva, do bobsled, detectou a substância trimetadizina

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 11h14

Um segundo caso positivo de doping na sua equipe foi revelado nesta sexta-feira pela delegação russa durante os Jogos de Inverno, um dia antes de o Comitê Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) decidir se restitui os direitos do país para a cerimônia de encerramento no domingo em Pyeongchang.

+ Bronze em Pyeongchang, russo do curling pego no doping desiste de depor na CAS

+ Esloveno do hóquei é reprovado em teste e vira 3º caso de doping em Pyeongchang

Alexander Zubkov, presidente da Federação Russa de Bobsled, disse à agência de notícias The Associated Press, nesta sexta, que a amostra da piloto Nadezhda Sergeeva, deu positivo no domingo.

A delegação russa em Pyeongchang informou, através de um comunicado, que a substância encontrada foi trimetazidina, um medicamento utilizado para angina de peito e mencionado pela Agência Mundial Antidoping como substância proibida por afetar o metabolismo.

"Ela confirma que não tomou essa medicação, e a equipe aponta que não a prescreveu", disse Zubkov, ex-competidor de bobsled, que perdeu duas medalhas de ouro olímpicas pelo escândalo de doping que envolveu a Rússia nos Jogos Olímpicos de Sochi. "Os representantes da federação nos Jogos Olímpicos começaram a preparar a defesa".

O trenó com Sergeeva terminou, na quarta-feira, no 12º lugar na disputa por duplas, depois da retirada da sua amostra que deu positivo. Zubkov acrescentou que uma amostra que um teste realizado pela atleta cinco dias antes deu negativo. "Posso lhes dizer que no dia 13 estava limpa, mas no dia 18 ela testou positivo para o remédio para o coração", disse.

O COI informou nesta sexta-feira que a delegação russa havia notificado o caso de doping. O outro resultado positivo em exame antidoping do país nos Jogos de Inverno foi de Alexander Krushelnitsky, do curling.

Em dezembro, a Rússia foi excluída da Olimpíada de Pyeongchang pelos casos de doping em Sochi-2014, mas o comitê convidou 168 atletas do país para participarem sob bandeira neutra.

"Isso não nos dará qualquer mérito adicional", reconheceu o líder da delegação russa, Stanislav Pozdnyakov, em declarações à imprensa do seu país. "Infelizmente, este caso é sobre a negligência por parte da atleta. Ela nos decepcionou".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.