Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Rússia vai recorrer de punição que tira país de eventos esportivos, diz Vladimir Putin

Decisão da Agência Mundial Antidoping vem após caso de conspiração de doping de atletas

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2019 | 06h28

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta segunda-feira que recorrerá da decisão da Agência Mundial Antidoping (Wada) de banir por quatro anos o país de grandes eventos esportivos, entre eles os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo.

"Todo o castigo deve ser individual. Não pode ser coletivo e afetar aqueles que não tem nada a ver com as infrações", disse Putin em Paris, onde estava para participar de uma reunião sobre o conflito no leste da Ucrânia.

Putin disse estar convencido que a Wada entende a argumentação que a Rússia apresentará no recurso. Segundo ele, especialistas agora examinarão com detalhe a punição para recorrer.

A Rússia foi considerada culpada de conspirar para obstruir a investigação de novos casos de doping - ao menos 145 - por meio da alteração ou eliminação de exames laboratoriais. Isso teria ocorrido, segundo a Wada, até janeiro.

Com isso, atletas do país não poderão disputar Jogos Olímpicos ou a Copa do Mundo com a bandeira russa. Além disso, o Kremlin fica proibido de apresentar candidaturas para eventos internacionais de grande porte até 2032.

Os prazos envolvidos deixam o país fora dos Jogos Olímpicos de 2020, dos Jogos de Inverno de 2022 e da próxima Copa do Mundo, que será realizada no Catar também daqui a três anos.

A Wada explicou que a decisão foi rígida com as autoridades russas, mas que defende os direitos dos atletas "limpos" do país. Eles, segundo a entidade, poderão provar que são inocentes e não estavam envolvidos na fraude. /Com informações da EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.