Vladimir Astapkovich/ RIA Novosti
Vladimir Astapkovich/ RIA Novosti

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Russo do levantamento de peso perde prata em Londres-2012 após doping confirmado

Apti Aukhadov era o segundo colocado na categoria até 85kg

Estadão Conteúdo

18 Outubro 2016 | 14h52

O Comitê Olímpico Internacional (COI) cassou nesta terça-feira a medalha de prata conquistada pelo russo Apti Aukhadov na prova do levantamento de peso nos Jogos de Londres, há quatro anos. Ele perdeu a segunda colocação na categoria até 85kg após ser flagrado em exame antidoping.

Aukhadov havia sido flagrado no teste em junho, porém somente agora o COI confirmou a perda da medalha de prata. Exames detectaram a presença de dois esteroides em suas amostras: turinabol e drostanolona. Pela decisão, o russo deverá devolver a medalha obtida em Londres.

Em razão do resultado divulgado em junho, o levantador russo ficou impedido de competir na Olimpíada do Rio de Janeiro, em agosto. Ele também deve perder as medalhas conquistadas em dois Mundiais. Ele se sagrou campeão do mundo em Wroclaw, em 2013, e foi bronze em Houston, no ano passado.

Com a decisão, a medalha de prata deverá ser herdada pelo iraniano Kianoush Rostami. O egípcio Tarek Yehia ficará com o bronze. A medalha de ouro fora conquistada pelo polonês Adrian Zielinski, que acabou sendo barrado de competir no Rio por ter sido flagrado em um exame antidoping pouco antes da competição.

O COI também informou que o ucraniano Maksym Mazuryk, do salto com vara, foi desclassificado da prova disputada em Londres. Ele também foi pego com turinabol em sua amostra. Assim, perdeu o 18º lugar obtido nos Jogos de Londres.

Estes testes positivos foram revelados quatro anos depois de coletados graças ao novo procedimento do COI de armazenar por até dez anos as amostras dos atletas. Desta forma, é possível utilizar novas tecnologias para testar novamente amostras que antes haviam passado incólumes em exames iniciais.

Ao todo, o COI já contabilizou 98 casos de testes positivos em amostras colhidas em Londres-2012 e Pequim-2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.