S. Silvestre: sistema acelera largada

Os aproximadamente 15 mil atletas que vão correr a Corrida de São Silvestre poderão começar os 15 km com mais facilidade em 2004. Neste ano, a corrida de rua mais tradicional do país terá sua largada 20% mais rápida, graças a uma tecnologia desenvolvida no Brasil. Os tempos da corrida são aferidos por um chip que cada atleta recebe e carrega durante os 15 km (presos ao tênis). Para ativar a cronometragem, o atleta precisa passar sobre um tapete eletrônico, que envia as informações para o computador. Até o ano passado, esse tapete tinha 10 metros de comprimento. Neste ano, serão 12. Em provas internacionais, esse tapete tem apenas 8 metros. ?Para a São Silvestre, será um grande avanço. Hoje, precisamos afunilar os 13 mil competidores da prova masculina em 10 metros. Com dois metros a mais, vamos ganhar tempo?, diz Manuel Garcia Arroyo, o Vasco, diretor operacional da prova. A tecnologia foi desenvolvida pela empresa paulista Chiptime, que há oito anos cuida da cronometragem da São Silvestre. Nos últimos dois anos, a empresa já tinha usado uma tecnologia inovadora, de 10 metros, dois a mais do que o padrão internacional. ?A comunicação entre o chip e o tapete é feita por ondas eletromagnéticas e esse ajuste é fino, muito delicado. Por isso, a maioria dos tapetes é feito com 8 metros?, explica Arroyo. A programação da 80ª São Silvestre começa às 15 horas do dia 31, com a largada especial para os portadores de deficiência. Quinze minutos depois largam as mulheres, enquanto a largada masculina será dada às 17 horas. A prova de 2004 distribuirá R$ 100 mil divididos entre os cinco primeiros tanto no masculino quanto no feminino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.