Sábado de trombadas

São Paulo, Cruzeiro e Flamengo foram dormir de cabeça quente. O trio poderoso levou chacoalhadas de perder o rumo, no início da noite de ontem, na abertura da 25.ª rodada. Em compensação, o Goiás voltou a sonhar com a salvação, o Santos deu sinais de que pode espantar a crise provocada com a saída de Dorival Júnior e o Palmeiras ensaia para brigar por Libertadores em 2011, mas via Copa Sul-Americana, já que o campeão terá vaga assegurada no torneio maior.

Antero Greco, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2010 | 00h00

A zebra correu solta no primeiro tempo do jogo no Morumbi. Nem o Goiás acreditou nos 3 a 0, obtidos com facilidade e em vacilos estrondosos do sistema defensivo do São Paulo. O público vaiou o time da casa e houve torcedor a pegar no pé da diretoria, por ter mantido Sérgio Baresi, justo quando Dorival deu sopa. Tarde demais, porque acertou com o Atlético-MG. O São Paulo praticamente deu adeus à Libertadores e perde 2010.

O Cruzeiro até agora não sabe o que aconteceu na Arena Barueri. Na primeira parte do duelo com o Santos reclamou com razão de gol mal anulado de Farias, mas desandou na etapa final, mesmo quando um jogador a mais (Zé Eduardo foi expulso). Neymar voltou a soltar-se e fez um lindo gol. Os 4 a 1 são sinal de que a poeira começa a baixar.

O surpreendente Palmeiras praticamente liquidou o Flamengo ao fazer 2 a 0 no primeiro tempo, gols de Kléber, e com o meio-campo ajeitado. Caiu no segundo, levou o 2 a 1 e se livrou do sufoco com gol de Lincoln, que reapareceu depois de passar o inverno de molho. O Fla, 28 pontos, flerta com o descenso.

Sabor de final. Mesmo com o tropeço do Cruzeiro, vejo ainda 4 clássicos decisivos na briga pelo título. O primeiro será hoje, no Beira-Rio, entre Inter e Corinthians. O resultado, na prática, influi mais no futuro do Colorado. Contra o líder, o campeão sul-americano, já de olho no bi mundial, faz o teste definitivo para sua pretensão de ficar com uma taça que não leva para casa desde 1979. Com 38 pontos, reentra na corrida pela hegemonia nacional só se vencer.

O Corinthians está em situação folgada. Com 47 pontos, dará salto enorme para o penta, se voltar do Sul com outros três. Livra-se da sombra de concorrente perigoso, no mínimo mantém distância do Flu e faz o Cruzeiro comer poeira. A maré alvinegra é mansa, sobretudo após os triunfos seguidos nas últimas três rodadas - dois como visitante.

O líder vive momento de serenidade, e com jogadores em alta. Jucilei e Elias, antes coadjuvantes, encorparam depois de ser chamados para a seleção. Jorge Henrique desequilibra de novo e Iarley desandou a fazer gols - 4 nos 5 jogos deste mês. A defesa mantém regularidade. Já o Inter oscila. Em setembro, coleciona 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. Roth garante que não joga a toalha e que o tetra nacional é prioridade.

A hipótese nada improvável de vitória hoje levará o Inter a outra "final", dessa vez com o Flu, em 4 de novembro. Pelo quadro de hoje, na classificação geral, as outras duas decisões ficarão para os confrontos Cruzeiro x Flu (no dia 10 de outubro) e Corinthians x Cruzeiro (14 de novembro).

Pausa, professor. Vanderlei Luxemburgo é personagem controvertido e importante no futebol. Seu currículo é dos mais respeitáveis. Só que há algum tempo tem perdido o carisma e não obteve resultados significativos. A demissão do Atlético-MG talvez o anime a uma guinada. Faria se tirasse um período sabático, de recolhimento, para reavaliar vida e profissão. E voltar com bateria recarregada.

Ah, é? René Simões disse, no famoso jogo em que houve o piti de Neymar com Dorival Jr., que jamais havia visto um jogador tão mal-educado do ponto de vista esportivo. Um "monstro" em gestação, se não fosse freado. Pois o treinador do Atlético-GO, 57 anos, será julgado na terça-feira porque, no jogo de seu time contra o Fluminense, xingou o árbitro Wallace Nascimento Valente e lhe teria dito, de acordo com a súmula: "Vocês são safados e estão me roubando".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.