Sai laudo sobre morte de judoca

A morte da judoca Sara Ribeiro, do Minas Tênis Clubes, no último dia 1º de novembro quando dormia em casa, em Belo Horizonte, não teve nenhuma relação com a prática esportiva. Esta foi a conclusão do laudo emitido nesta quarta-feira pelo Instituto Médico Legal do estado de Minas Gerais.De acordo com os legistas que assinam o documento, não foi encontrado nos exames nada que pudesse determinar a causa do falecimento da atleta. Segundo o gerente de Medicina e Preparação Esportiva do Minas Tênis Clube, Carlos Antônio Ferreira Pereira, todos os exames médicos da atleta estavam em dia. ?A Sara apresentava boas condições de saúde e o falecimento dela não teve relação com a prática esportiva?, garante o especialista. Sara morreu no dia 1º de novembro, aos 22 anos, em casa, enquanto dormia. A atleta era sócia do clube desde criança e começou a praticar judô em 1994. Várias vezes campeã mineira juvenil, júnior e adulta de sua categoria, foi ainda medalha de bronze na classe júnior no Campeonato Nacional de Judô e vice-campeã do Campeonato Brasileiro.Em 2005, conquistou o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro Regional.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2005 | 15h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.