Saltadores brasileiros treinam com Bubka e Isinbayeva

Fabiana Murer e Fábio Gomes da Silva estão em Donetsk, na Ucrânia para aprender com 'mestres'

Heleni Felippe, O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2008 | 13h31

Os atletas brasileiros Fabiana Murer e Fábio Gomes da Silva, além do técnico Elson Miranda, estão trabalhando em Donetsk, na Ucrânia, no Sergei Bubka Club, um ginásio antigo, do tempo do comunismo, numa cidade com temperaturas atuais abaixo dos três graus centígrados. Mas a opção foi por freqüentar a melhor escola do salto com vara do mundo em um ano olímpico - os dois atletas têm índice para competir em Pequim. E, o que é ainda melhor, na companhia de professores e alunos da melhor qualidade. Os dois brasileiros estão treinando com o técnico Vitaly Petrov e sua aluna mais ilustre, a recordista mundial do salto com vara, a russa Yelena Isinbayeva (já saltou 5,01 metros). De quebra, eles recebem dicas do próprio Sergei Bubka, que mandou na prova por décadas e, mesmo aposentado aos 44 anos, ainda é o recordista mundial - com 6,14 metros, feito em 1994. Elson Miranda, que treina vários atletas do salto no Ibirapuera, em São Paulo, está impressionado por ver centenas de saltadores reunidos, de moleques de dez anos a atletas de elite, no clube de Bubka - uma estrutura modesta -, e vários técnicos trabalhando. "São duas as áreas de salto, sempre cheias", contou o treinador. Todos querem aprender, ou dominar com perfeição, a técnica do free take off (transição), criada por Petrov e feita com precisão por Bubka. "Pela técnica, a vara ainda nem envergou e o atleta já está no ar", explicou Elson Miranda. "Foi bom conversar com o Bubka porque o Petrov entende da técnica, mas o Bubka tem a sensação do que sentia no salto, na decolagem", explicou Fabiana Murer, a recordista sul-americana (4,66 metros).  Além de receber as dicas de Bubka, Fabiana Murer treina há um mês com Isinbayeva, que trabalha para bater o recorde mundial indoor (4,93 metros) em Valência, de 7 a 9 de março, e por uma medalha olímpica. A brasileira também vai ao Mundial Indoor na cidade espanhola, pensando em melhorar sua marca sul-americana. Antes disso, porém, as duas fazem uma prova só de salto com vara, que leva o nome de Bubka, dia 16 de fevereiro, em Donetsk. Depois, viajam para saltar dia 21, na Polônia, e 24, na França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.