Santistas saem reclamando: ''''Foi como uma derrota''''

Atacante Kléber Pereira e meia Vitor Júnior disseram que time não podia ter deixado escapar pontos no clássico

O Estadao de S.Paulo

13 de outubro de 2007 | 00h00

A lamentação foi geral por parte dos santistas ao final do confronto com o Palmeiras, ontem, na Vila Belmiro. Ao empatar por 1 a 1, o time fecha o ano sem ganhar nenhum clássico. Desta vez, porém, injustamente, segundo os jogadores, crentes de que sua equipe foi bastante superior ao oponente."Um resultado injusto, saímos praticamente derrotados", detonou o atacante Kléber Pereira, que retornou ontem após suspensão e acreditava acabar com o jejum de cinco jogos sem fazer gols. Agora já são seis rodadas em que o artilheiro do Santos, com 10 gols, não balança as redes."Vamos tentar acabar com esse jejum diante do Figueirense. Temos de ganhar deles de qualquer jeito", observou. Não contente, ainda cutucou o rival. "Para eles, foi um ponto importantíssimo, apesar de não merecido", atirou, chateado.O meia Vítor Júnior endossou as palavras do companheiro. "Na Vila Belmiro, não ganharmos o clássico acabou sendo um péssimo resultado", ressaltou. "Temos de recuperar os pontos em Florianópolis", disse, sobre o duelo de domingo.ALEGRIAMas nem só de reclamação viveu os santistas. O jovem Carleto, de apenas 18 anos, deixou a Vila Belmiro radiante por ter colaborado com o grupo. Com as ausências de Kléber, na seleção brasileira, e Carlinhos, machucado, ele ganhou chance na lateral-esquerda e não comprometeu. "Não tive medo e pude fazer um grande jogo. Graças a Deus tudo deu certo", comemorou o garoto, que ficou sabendo que jogaria o clássico na concentração. "O Professor Luxemburgo me perguntou se estava preparado para fazer clássico na Vila e disse que sim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.